Edição: 264

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/11/30

Santarém, Capital da Gastronomia Portuguesa

Festival Nacional de Gastronomia traz 24 Chefs a Santarém para duplicar o número de visitantes

João Leite apresentou o Festival

A apresentação do programa do 41º Festival Nacional de Gastronomia de Santarém decorreu esta segunda-feira, dia 3 de outubro, na Quinta da Bela Vista, em Santarém. O evento que pretende, nesta edição, duplicar o número de visitantes, está de volta à Casa do Campino de 21 de outubro a 1 de novembro, numa mostra nacional de chefes, produtos e cultura gastronómica de todo o país. Junta a tradição à modernidade, trazendo as memórias mais profundas, onde a zona de petiscos estará à responsabilidade de 24 Chefes. Com um programa diverso que vai desde a restauração a showcookings, masterclasses com chefs nacionais, artesãos ao vivo, fóruns e debates, stands de expositores do setor e animação musical, esta iniciativa do programa Santarém Capital da Gastronomia coloca o município como palco privilegiado da gastronomia portuguesa.

A conferência de imprensa contou com as presenças de Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém e João Teixeira Leite, vice-presidente da Câmara Municipal de Santarém, e de ilustres convidados que tiveram oportunidade de ficar a conhecer as iniciativas e celebrações que irão marcar a edição de 2022, deste que se assume como o festival gastronómico mais antigo e mais icónico do país, que este ano se apresenta renovado e multifacetado.

O evento teve início com uma Mesa Redonda e prova de Vinhos do Tejo – conduzida pelo sommelier Rodolfo Tristão -, após a qual foram reveladas as novidades do festival. De seguida foi servido um almoço preparado a quatro mãos, no qual o cozido à portuguesa foi o rei da mesa, numa confeção que cruzou a tradição do Sr. António da Taberna do Geraldo e a inovação pelo Chef João Diogo Saloio do restaurante Mãe, conceitos que dão o mote ao festival que se aproxima.

Festival está de volta à Casa do Campino

O Festival Nacional de Gastronomia, que decorre de 21 de outubro a 1 de novembro, é o evento gastronómico de maior representatividade nacional, procurando associar a defesa da tradição aos desafios da modernidade e da inovação. Inserido no programa Santarém Capital da Gastronomia e com a curadoria do chef Rodrigo Castelo, embaixador para a gastronomia de Santarém. Esta será uma edição com fortes novidades e que encerra o conjunto de iniciativas realizadas ao longo do ano, no âmbito deste programa. Uma edição que se apresenta inovadora sem perder a ligação à tradição e que conta com o empenho do Chef Rodrigo Castelo, que com a sua paixão pela gastronomia faz enaltecer os produtos das regiões participantes no evento, e dá a conhecer aos visitantes o melhor que o país tem.

O Festival Nacional de Gastronomia já recebeu alguns prémios, entre os quais destaca-se o facto de ter sido eleito o evento do ano 2021 pela AHRESP o que, por um lado “é reflexo de todo o trabalho desenvolvido durante estes 40 anos e, por outro, nos deu o mote para continuar a renovar o festival, celebrando a gastronomia regional e nacional e pondo à prova os melhores sabores de diversas regiões do país”, afirma Ricardo Gonçalves, Presidente da Câmara Municipal de Santarém. “Este, como outros eventos que temos vindo a realizar no âmbito do programa Santarém Capital da Gastronomia, são uma forte aposta para impulsionar o turismo e a restauração do concelho. E uma forma de juntar “à mesa” o que de melhor Portugal tem em termos de gastronomia”, declara o Presidente da Câmara Municipal de Santarém.

“Teremos representado o país de norte a sul e ilhas, integrando diferentes componentes: da gastronomia e restauração aos produtos regionais, à doçaria e à etnografia. O desafio e a responsabilidade de ter Portugal e a sua diversidade presentes neste evento é enorme, o foco é o produto e a gastronomia, e esta edição reforçará o estatuto de Santarém como Capital da Gastronomia”, refere João Teixeira Leite, vice-presidente da Câmara Municipal de Santarém com o pelouro do turismo e grandes eventos. “O festival assume-se como um evento para todos os públicos e transversal a todas as idades”, acrescentou o autarca.

Cartaz

Dar a provar “Portugal”, numa mesma iniciativa, é a base da nova abordagem do Festival Nacional de Gastronomia que pretende chegar a todos os públicos. “Fico muito feliz e orgulhoso em ver o resultado de muitos meses de trabalho para contribuir para a grande aposta que o município da minha cidade tem vindo a fazer neste setor. É uma honra e uma grande responsabilidade ser a ‘cara’ da gastronomia de Santarém, mas também um grande desafio que me motiva a descobrir, criar, inovar e a promover o que de melhor a nossa região e o nosso país têm, e ajudar a conceber e concretizar um evento que seja uma verdadeira mostra do nosso património gastronómico”, afirma o chef Rodrigo Castelo do restaurante Ó Balcão e embaixador para a gastronomia de Santarém.

Com um vasto programa que inclui desde a restauração, showcookings, masterclasses com chefes, sommeliers e mixologistas nacionais, artesãos ao vivo, fóruns e debates, stands de expositores e animação musical, a 41ª edição do Festival Nacional de Gastronomia pauta-se por uma grande diversidade aliada à qualidade da oferta, e à novidade relativamente às edições anteriores, uma vez que todos os dias haverá mais por descobrir.

Petiscos

A área de petiscos, onde os visitantes podem provar petiscos de 24 chefes, representativos das diversas regiões, é um dos pontos chave do festival, uma vez que confere ao evento um aumento da oferta gastronómica, aliando a qualidade à tradição. São vários os nomes de chefes reconhecidos no universo gastronómico, como é o caso de Noélia Jerónimo, Vasco Coelho dos Santos, Marlene Vieira, Júlio Pereira, Luís Gaspar, Ricardo Mugasa, Ana Moura, Cláudio Pontes, Vítor Adão ou Hugo Nascimento, entre outros, responsáveis por restaurantes de norte a sul do país, e que irão estar a dar a provar criações e interpretações muito próprias.

Esta será uma zona de mesas altas, sem assentos, a relembrar as tasquinhas de antigamente, e as tertúlias entre amigos e os momentos de convívio, e com a possibilidade de juntar vinho a copo que pode ser adquirido na zona da garrafeira. Aqui pretende-se recuperar o ambiente das tasquinhas de petiscos, algo que a maioria dos portugueses tanto aprecia, e que durante muitos anos fez parte da identidade do evento, e que neste novo conceito de festival, impulsionado pelo chef Rodrigo Castelo para esta nova “era”, não podia faltar. Ao mesmo tempo que se recupera a tradição, provam-se os produtos mais emblemáticos e que representam as diferentes regiões de Portugal. Numa prática sustentável e responsável, no recinto, os utensílios são descartáveis.

Restauração e gastronomia

A zona de restauração terá oito restaurantes representados, ao longo do festival, sendo eles Do Dia pra Noite (Madeira), José do Rego (Açores), Torres (Braga), Académico (Bragança), Aleluia (Oeste), Tentações da Montanha (Porto), Costa (Vila Real) e Lampião de Évora (Alentejo), demonstrativos da gastronomia nacional. Quatro deles estarão no recinto de início, mais tarde dando lugar a outras regiões para mostrarem o melhor das suas cozinhas.

Outra das grandes inovações são os cinco jantares exclusivos com chefes de restaurantes com estrela Michelin ou Bib Gourmand que irão realizar-se durante o festival, em que os chefes foram desafiados por Rodrigo Castelo a criar um menu com inspiração nas suas regiões de origem, com pairing de vinhos de produtores da mesma região. Nomes como João Oliveira, Henrique Sá Pessoa, Pedro Lemos e Diogo Rocha são os quatro chefes que se juntam ao chef Rodrigo Castelo, anfitrião da iniciativa, para em dias diferentes protagonizarem estas oportunidades ímpares de degustação.

A Padaria será outro ponto de destaque do festival, local onde será feito todo o pão regional do evento, contribuindo assim para a redução da pegada ecológica. Mais uma prática sustentável promovida pelo evento, que tem o ambiente como foco de preocupação, minimizando o desperdício, e promovendo comportamento responsável por parte de todos.

A doçaria portuguesa marcará também presença com cerca de 32 expositores que aqui apresentam as iguarias mais doces da sua região. Verdadeiras tentações para o palato, escolhas difíceis para quem os visita.

Na área da cozinha central irão, ainda, decorrer várias demonstrações em showcookings apresentados por alguns dos melhores profissionais de cozinha do nosso país.

Bebidas e harmonizações

Além das cozinhas regionais, todas as regiões vitivinícolas do país estarão representadas, e os visitantes poderão fazer prova a copo ou mesmo adquirir garrafa. A Garrafeira será um espaço dedicado a harmonizações com  produtos emblemáticos de cada região, com a curadoria de Rodolfo Tristão.

Este ano há também uma aposta forte nas bebidas espirituosas, com grande destaque para os destilados portugueses, e para os cocktails, mocktails ou tikki (tropical, praia), cada vez com mais adeptos. E porque a inovação é algo que caracteriza cada vez mais este festival, os visitantes podem assistir a workshops de mixologia, com a curadoria do bartender português Wilson Pires.

Recinto Exterior

Em termos de animação no exterior, além de uma área de Street Food, que já tem confirmadas originais e tradicionais apostas como a francesinha e o hambúrguer de toiro bravo, estará disponível toda uma programação musical que irá animar o evento. Vários são os géneros que vão estar representados, com a presença de DJs, concertos de bandas portuguesas e apresentação de ranchos e cantares tradicionais.

Neste evento a participação ativa do público é algo que se pretende fomentar, para que os visitantes possam fazer parte da festa de uma forma mais abrangente. Para isso existe também uma área de talks para debate de temáticas importantes ligadas à gastronomia e para ativação de marcas do setor.

O património cultural e a identidade das várias regiões não ficam esquecidas e, no festival, os visitantes poderão ver artesãos ao vivo e cerca de 35 representantes etnográficos. E porque falamos de um evento à escala nacional, são já 21 os municípios que confirmaram a sua presença no evento.

O espaço conta, ainda, com uma zona infantil com baby-sitters disponíveis e dedicada aos mais novos, o que permite desfrutar do evento em família.

Novidade, também este ano, é o concurso de decoração de abóboras, para escolas do município – alusivo ao dia das bruxas -, que tem como objetivo o combate ao desperdício alimentar e a alimentação saudável, uma vez que a sustentabilidade é um tema presente e transversal em todo o festival. Nesta ação, crianças do 1º ciclo podem participar decorando as abóboras por fora, e utilizando o seu interior para preparar uma “terrorífica” pizza, com a receita que lhes é sugerida pelo produtor. Uma entre diversas iniciativas dos produtores presentes no certame.

Santarém, anfitriã da gastronomia portuguesa. É este o claim que, segundo João Teixeira Leite, sustenta todo o trabalho desenvolvido em torno do património gastronómico do país “e, em concreto, do nosso concelho impulsionando o turismo e a restauração da região”, conclui.

Tudo boas razões que justificam uma visita ao Festival Nacional de Gastronomia, o evento de maior relevo no panorama gastronómico nacional, e à capital do Ribatejo, um destino turístico de experiências autênticas, com uma oferta diversificada para todos os gostos e ao longo de todo o ano.

O bilhete diário para o público tem um custo de 2,5€ e já se encontra à venda online na bol. Também poderá ser adquirido, na Casa do Campino, no horário disponível da bilheteira, durante o festival.

Informações adicionais

Horários

Artesanato | Comerciais | Doçaria | Restaurantes|
Produtos Regionais (Casa do Campino)
21 a 31 de outubro: 12h00 – 24h00
1 de novembro: 12h00 – 18h30

Zona dos Destilados e Recinto Exterior
21 de outubro: 12h00 – 24h00
22 e 23 de outubro: 12h00 – 02h00
24 a 27 de outubro: 12h00 – 24h00
28 e 29 de outubro: 12h00 – 02h00
30 de outubro: 12h00 – 24h00
31 de outubro: 12h00 – 02h00
1 de novembro: 12h00 – 18h30

Preços

2ª a 6ª-feira até às 18h00: entrada gratuita
A partir das 18h00: 2,5€
Entrada livre até aos 17 anos (inclusive)
Sábados, domingos e feriados: 2,5€
Bilheteira – das 11h45 às 23h00

Mais informações em http://www.festivalnacionaldegastronomia.pt/

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.