Edição: 265

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/12/4

Santarém

Ribeira de Cuba recebe projeto de reabilitação fluvial Reabilitar Troço a Troço na Freguesia de Alcanede

Obra Reabilitar Troço a Troço (RTT), de reabilitação fluvial da Ribeira de Cuba

A obra ambiental – Reabilitar Troço a Troço (RTT), de reabilitação fluvial da Ribeira de Cuba, na Freguesia de Alcanede, terminou no dia 19 de outubro e contou com a participação pública do Clube de Ambiente da EB 2/3 de Alcanede, do Agrupamento de Escolas D. Afonso Henriques, cooperando para a importância deste projeto como contributo para a Literacia Ambiental e bem-estar das comunidades locais.

Os 15 alunos puderem vivenciar um momento de partilha do conhecimento pela conservação e preservação dos nossos rios e ribeiras, e assim se constituírem cidadãos ativos na recuperação de ecossistemas ribeirinhos, através da participação voluntária, e com uma melhor perceção da importância das linhas de água para a qualidade de vida da comunidade e da nossa sociedade.

Nuno Russo, Vereador da Câmara Municipal de Santarém com o pelouro da Proteção Ambiental, referiu que “esta obra ambiental RTT, que reabilitou a Ribeira de Cuba ou Ribeiro do Cubal, é uma montra de aplicação da técnicas de Engenharia Natural aplicadas pela equipa do Ambiente do Município, onde a aposta realizada na capacitação nesta matéria de reabilitação fluvial foi a chave do sucesso para que a Autarquia, por administração e gestão direta, possa hoje apresentar 150 metros de linha de água conservada.”.

Este RTT da Ribeira de Cuba, projeto do Município de Santarém, em colaboração com a Junta de Freguesia de Alcanede, consistiu na reabilitação da linha de água, através a aplicação de técnicas de Engenharia Natural designadamente a estacaria viva, faxinas e entrançado de salgueiro, gabião cilíndrico, plantação de espécies arbustivas e arbóreas nativas e aplicação de manta orgânica e bio rolos.

Foi possível, com esta reabilitação, transformar um espaço coberto de espécies vegetais invasoras num espaço natural, onde a linha de águia está reabilitada, e que poderá ser contemplada pela população, e onde a biodiversidade terá condições de prosperar, com significativa melhoria em termos ecológicos.

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.