Edição: 265

Diretor: Mário Lopes

Data: 2022/12/4

7º hotel do Grupo Visabeira em Portugal

Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel mantém sobriedade do Património Mundial

Presidentes da República assinaram o livro de honra do Hotel

O Presidente da República de Portugal Marcelo Rebelo de Sousa e o Presidente da República de Moçambique Filipe Jacinto Nyusi, presidiram este sábado, dia 19 de novembro, à inauguração do Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel, que teve lugar durante a Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais de Alcobaça. O primeiro-ministro fez-se representar por António Costa e Silva, ministro da Economia, que veio acompanhado por outros três ministros: Pedro Adão e Silva, ministro da cultura, Maria do Céu Antunes, ministra da Agricultura e Alimentação, e Ana Abrunhosa, ministra da Coesão Territorial. O Grupo Visabeira investiu nesta unidade hoteleira 19,7 milhões de euros, a que somaram 8,8 milhões de euros de fundos europeus (Programa COMPETE).

Américo Aguiar, bispo auxiliar de lisboa, procedeu à bênção da 7ª unidade hoteleira do Grupo Visabeira em Portugal. Estiveram presentes ainda o presidente do Conselho Geral do Grupo Visabeira, Fernando Campos Nunes, o diretor-geral do Património Cultural, João Carlos dos Santos, o reitor da Universidade de Coimbra, Amílcar Falcão, o presidente do Turismo de Portugal, Luís Araújo, o presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado, a diretora do Mosteiro de Alcobaça, Ana Pagará, as presidentes das CCDR de Lisboa e Vale do Tejo e do Centro, Teresa Almeida e Isabel Damasceno, o presidente do INIAV, Nuno Canada e o presidente da Assembleia Municipal de Alcobaça, Carlos Marques, entre muitas outras personalidades.

Durante o jantar de honra, usaram da palavra Fernando Gabriel Nunes, Administrador do Grupo  Visabeira, Nuno Terras Marques, presidente do Conselho Executivo do Grupo Visabeira, Eduardo Souto Moura, arquiteto responsável pelo projeto do hotel, Hermínio Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, António Costa e Silva, ministro da Economia e do Mar, Filipe Nyusi, Presidente de Moçambique e Marcelo Rebelo de Sousa, presidente de Portugal.

Filipe Nyusi, Fernando Campos Nunes, D. Américo Aguiar e Marcelo Rebelo de Sousa

Fernando Gabriel Nunes recordou que o Grupo Visabeira convidou Eduardo Souto Moura para desenvolver o projeto de arquitetura do novo hotel pela sua inegável qualidade, de que é prova a conquista do prémio Pritker – o maior da arquitetura a nível mundial – em 201. O arquiteto portuense foi ainda responsável pelo design de mobiliário e decoração do hotel de 5 estrelas. O Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel tem 91 quartos e possui todas as condições para receber congressos, banquetes e reuniões.

O administrador recordou ainda que o Grupo Visabeira dispõe agora de 7 hotéis em Portugal e 6 hotéis em Moçambique e que a Visabeira Moçambique tem em atividade 22 empresas empregando cerca de 2500 pessoas

Por sua vez, o presidente do Conselho Executivo do Grupo Visabeira lembrou que o grupo empresarial nasceu há 42 anos e vive uma fase de grande fulgor, estimando atingir em 2022 um volume de negócios consolidado de 20,5 milhões de euros, cerca do dobro do valor de 2017, o que traduz um crescimento anual de 20% ao longo dos últimos 5 anos. De realçar que 80% deste volume de negócio foi obtido fora de Portugal.

O Grupo Visabeira tem atualmente cerca de 4,5 mil milhões de euros de contratos em carteira. Está presente em França, Reino Unido, Bélgica, Alemanha, Itália, Suécia, Irlanda, Espanha, EUA, Índia, Moçambique, Angola, S. Tomé e Marrocos, em áreas que vão das telecomunicações à energia, construção, indústria e turismo.

Já Eduardo Souto Moura começou por agradecer a dois operários especializados (Mário e José Pinto), ao arquiteto João Carlos, por ter discutido as soluções como colega, vindo muitas vezes à obra, interessando-se e resolvendo os problemas. Ao embaixador Morais Cabral, representante da Unesco em Portugal, que visitou a obra duas ou 3 vezes. Do diálogo  com colegas, “tudo gente bem-educada”, a obra foi fechada.

Veio a Alcobaça todas as semanas durante 7 anos, exceto nas últimas semanas, em que foi preciso vir duas vezes, mas devido ao agravamento do seu estado de saúde, foi substituído pelo seu braço direito, o arquiteto Luís Pacheco

Jantar decorreu na antiga Livraria do Mosteiro

“Não há boas obras sem bons clientes”, admitiu, e isso aconteceu também aqui. Agradeceu á Arquiteta Margarida, que fez a ponte com o dono da obra, que “estava a ficar cansado e preocupado”, e ao engº Fernando Nunes, pela compreensão até ao fim para tudo aquilo que pediu, para a qualidade que considerou necessária e foi feita.

Por sua vez, Hermínio Rodrigues agradeceu aos seus antecessores Gonçalves Sapinho e Paulo Inácio e aproveitou a oportunidade evocar a necessidade de requalificar o Mosteiro de Santa Maria de Coz e a rua D. Pedro V. Em carteira estão investimentos de 4,2 milhões de euros para a requalificação do Jardim do Obelisco e para o Claustro do Cardeal. O edil considerou este novo hotel uma âncora de desenvolvimento do concelho, permitindo estimular “a criação de novos serviços, negócios e valor acrescentado que beneficiarão as gerações vindouras.”

António Costa e Silva, ministro da Economia e do Mar enalteceu o mérito de um grupo empresarial que exporta para 33 países. Realçou a arquitetura límpida e austera do Mosteiro, que o arquiteto conseguiu manter. Pediu aos empresários portugueses para investirem em Moçambique porque é um grande importador de tecnologia, nas áreas agroindustrial, turismo, energias renováveis e economia do mar.

Corredor do Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel

Filipe Ngusy, que se fez acompanhar nesta visita, pela ministra dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, o ministro da Agricultura e Desenvolvimento Rural, a ministra da Justiça e Assuntos Constitucionais e Religiosos e a ministra da Cultura e Turismo, além do embaixador de Moçambique em Portugal, agradeceu o convite do presidente Marcelo Rebelo de Sousa e apelou ao investimento no mercado moçambicano, que garantiu ser atrativo e seguro. O Presidente de Moçambique enalteceu o grupo Visabeira, por ser resiliente no mercado moçambicano, ao contrário de outros grupos internacionais, que investem, mas se retiram alguns anos depois.

A finalizar, Marcelo Rebelo de Sousa apelou à fraternidade entre os povos, nomeadamente, entre Portugal e Moçambique, mais do que desenvolver relações bilaterais ou negócios e parabenizou o Grupo Visabeira por dar prioridade ao investimento na conservação do Património Histórico em Portugal.

De referir que o jantar contou com cerca de 500 convidados e teve lugar no final do terceiro e penúltimo dia da 24ª Mostra Internacional de Doces e Licores Conventuais, que os dois Presidentes da República e comitiva tiveram também oportunidade de visitar.

     Mário Lopes

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.