Edição: 267

Diretor: Mário Lopes

Data: 2023/2/3

Pseudónimo de Paulo Jorge Coelho Carreira

Paulo Assim vence Prémio Literário Afonso Lopes Vieira

Livro de Paulo Assim

Paulo Jorge Coelho Carreira, de nome artístico Paulo assim, residente na Batalha, é o vencedor do Prémio Literário Afonso Lopes Vieira, na modalidade Poesia, com a obra “Lume”.

O Prémio, no valor de 5 mil euros, foi atribuído, por unanimidade, a “Lume”, após apreciação, pelo Júri, dos 96 trabalhos concorrentes, vindos de norte a sul de Portugal continental, e de países como Canadá, Suécia, França, Cabo Verde e Israel.

Fizeram parte do júri do Prémio Literário Afonso Lopes Vieira, como convidados externos, Cristina Nobre, escritora e Professora do Politécnico de Leiria, Manuel Frias Martins, ensaísta, professor jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e Presidente da Associação Portuguesa de Críticos Literários e Domingos Lobo (pseudónimo) escritor e membro da Associação Portuguesa de Escritores. Como convidado interno, David Arede, técnico superior do Departamento de Educação do Município de Leiria, fez também, parte do Júri.

Cristina Nobre considera que o trabalho “revela a qualidade de uma escrita enxuta e limpa, salpicada de chamas alimentadas pela escrita do poema, a relação amorosa, a casa, a infância, o corpo-paisagem, o caudal aquático”.

Para Manuel Frias Martins, “Lume revela um bom domínio da linguagem e uma aptidão muitoe interessante para a construção de imagens”.

Domingos Lobo, também ele escritor, considera que é um “Livro de um só poema, cuja unidade temática e suas derivações, permite aferir das capacidades discursivas e metafóricas do autor.”

Na opinião de David Arede, “o poeta serve-se de metáforas fortes, jogos de palavras, hipérboles, entre outras estratégias sintáticas, que dão ênfase aos sentimentos e amores da juventude” sendo a leitura do trabalho um “constante apelo aos sentidos”.

O Júri decidiu ainda, por unanimidade, não atribuir qualquer Menção Honrosa e propôs duas alterações ao Regulamento do Prémio Literário Afonso Lopes Vieira. A primeira proposta é retirar o n.º 2, do Art.º 4.º em que se determina que «Podem ser atribuídas menções honrosas,

 

 

até ao limite de dois por cada edição, sem direito a qualquer valor pecuniário ou outro». A intenção é a de salvaguardar a qualidade média dos originais a concurso, nomeadamente favorecendo o aparecimento de concorrentes já com currículo e mesmo consagrados que, de outro modo, não concorriam para não correr o risco de ver o seu original proposto para uma simples menção honrosa. E retirar o Art.º 8.º que determina que «cada concorrente apenas pode submeter uma obra a concurso», porque não faz sentido em virtude de os concorrentes se apresentarem a concurso sob pseudónimo e não ser permitido o ex-aequo.

O Prémio Literário Afonso Lopes Vieira voltará a ser editado dentro de dois anos na modalidade de novela e conto.

    Biografia

Paulo Jorge Coelho Carreira, conhecido no meio literário por Paulo Assim, nasceu em 1965, na aldeia de Casais de Além, freguesia de Calvaria de Cima, concelho de Porto de Mós, e vive na Batalha.

A sua obra tem sido reconhecida através da atribuição de diversos prémios literários nas categorias de romance, conto e poesia, nomeadamente “A Quinta-feira dos Pássaros”, que recebeu os prémios Paul Harris 2005 (Rotary Club de Faro) e Gaspar Fructuoso 2009 (Ribeira Grande, Açores), “Celulose”, agraciado com o Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres 2010, “Mão sobre os olhos”, que obteve o Prémio Nacional de Poesia da Vila de Fânzeres 2011, e “Retrato a sépia”, ganhador do Prémio Nacional de Poesia Sebastião da Gama, em 2011.

Em 2012, o livro “A aviaras” recebeu o Prémio Literário Horácio Bento Gouveia e, em 2013, viu várias obras suas serem galardoadas: “De corpo para corpo” (Prémio Literário Manuel Maria Barbosa du Bocage), “Póvoa de Varzim ou O Paraíso Aqui” (Prémio Literário Fundação Dr. Luís Rainha, Correntes d’ Escritas), “Livro de Família” (Prémio de Poesia Raul de Carvalho) e “Árvore Genealógica” (Prémio de Poesia Soledade Summavielle), do Núcleo de Artes e Letras de Fafe.

Em 2017, venceu o Prémio Literário Cidade de Almada com o livro de poesia “Estado Febril”.

  Fonte: DCRP|CML

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.