Edição: 267

Diretor: Mário Lopes

Data: 2023/2/3

Santarém

Produção de insetos dá novo fôlego à Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes

Insetos comestíveis (Foto: AG/Evolution)

O Executivo Municipal de Santarém aprovou, por unanimidade, a 9 de janeiro, a alienação de um prédio rústico situado na Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes à empresa EntoGreen, no âmbito do contrato de consórcio externo, com vista à execução do projeto “InsectERA – A ERA da indústria dos insetos”.

Ricardo Gonçalves, presidente da Câmara Municipal de Santarém referiu que “a localidade de Pernes sofreu durante décadas problemas de poluição ambiental o que conduziu à diminuição de emprego e, consequentemente da população, pelo que a criação de novas indústrias como esta, dedicadas à valorização de subprodutos vegetais, contribuirá para a criação de novas oportunidades de emprego e promoção da economia do Concelho”.

Este projeto, financiado pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), alia o respeito pelo meio ambiente e pela atividade agrícola regional, contribuindo para desenvolvimento, crescimento e dinamização da região.

A InsectERA visa possibilitar a industrialização e comercialização de inovadores produtos com base em insetos, tanto na área alimentar (alimentação animal e humana), como nas indústrias da cosmética ou dos bioplásticos ou no inovador setor da biorremediação.

Através da instalação de três unidades produtoras de insetos, um centro logístico e um centro produtor de quitosano, o projeto será inovador a nível nacional e permitirá a criação de centenas de postos de trabalho diretos e indiretos.

Na proposta apresentada, na Reunião do Executivo, pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Santarém, João Teixeira Leite, com o pelouro do património, o autarca refere que “este investimento contribuirá para o desenvolvimento económico do concelho e da região gerando riqueza e melhoria da qualidade de vida da população em geral”.

A Zona de Desenvolvimento Económico de Pernes terá ainda capacidade para albergar outras unidades agroalimentares que contribuam para a criação de circularidade e parcerias, promovendo a partilha de recursos entre as empresas instaladas, num investimento que rondará os 19 milhões de euros no âmbito do PRR.

Fonte: IV|GRPC|CMS 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.