Edição: 267

Diretor: Mário Lopes

Data: 2023/2/5

Oferta cultural no concelho de Leiria alcançou mais de 500 mil pessoas em 2022

Nova agenda semestral e novo site marcam calendário cultural do concelho de Leiria

Teatro Miguel Franco

Foram apresentados esta terça-feira, dia 17 de janeiro, no Teatro Miguel Franco, em Leiria, a nova agenda semestral e o novo site com os eventos que irão marcar o calendário cultural do concelho, num evento que pretende colocar a cultura e o associativismo nos destaques dos principais acontecimentos de Leiria.

Para Anabela Graça, vereadora da Cultura, “este é um momento importante, porque, depois de alguns meses a planear cultura, conseguimos trazer até nós os protagonistas”, que são as associações culturais e o movimento associativo.

“Este ano, [a agenda] tem um diálogo, uma ponte com um site e esta é a grande novidade, que obriga a um trabalho de atualização em colaboração com o associativismo e tudo o que acontecer estará disponível na Leiriagenda”, salientou a vereadora.

Moderador de um dos eventos em destaque, o ciclo “Uma conversa entre nós”, Luís Osório, jornalista e escritor, defendeu que “é muito importante que exista espaço para os novos tempos onde o ruído e o tempo passam muito rápido” e “é muito interessante o respeito que existe pelas pessoas e esta agenda é sinal político disso”.

“Cada pessoa que lê é editor da sua própria agenda: serve não só para a pessoa estar informada, mas também para escrever”, acrescentou o escritor, para quem Leiria é sinónimo de que a cultura não se faz apenas em Lisboa e no Porto e de que a programação é transversal a todo o concelho e às diversas vertentes culturais.

Na sua terceira edição e com espaço para seis meses, a Leiria Cultura apresenta um formato mais pequeno, tornando-a mais funcional e mais prática para o dia a dia, para além de dez destaques por cada mês, realizando-se nos mais diversos equipamentos concelhios (teatros, escolas e freguesias) e abrangendo os vários domínios artísticos, entre os quais música, teatro, dança, cinema, literatura e poesia.

Para reforçar a meta de consolidação diária da cultura, foi lançada também a edição online da Leiriagenda, ferramenta que, até ao momento, se materializava num ficheiro digital, depois do formato em papel, e que, no endereço https://leiriagenda.cm-leiria.pt/pt, disponibiliza, de forma interativa e atualizada, programação do Município e do tecido associativo nas áreas do ambiente, cultura, desporto, desenvolvimento económico e saúde, entre outras.

O evento de apresentação das duas novas ferramentas contou com a atuação da cantora Margô.

Oferta cultural no concelho de Leiria alcançou mais de 500 mil pessoas em 2022 

Teatro José Lúcio da Silva

A oferta cultural no concelho de Leiria alcançou mais de 512.567 pessoas em 2022, um valor que contempla os visitantes à rede de museus municipais e ainda o público que aderiu à oferta proposta nos restantes espaços culturais do Município.

A rede de museus municipais de Leiria recebeu 168.109 visitantes em 2022, um crescimento de cerca de 13% face a 2021, ano em que se registaram 146.092 visitantes.

“A programação cultural de 2022 procurou garantir uma resposta integrada, coerente e sustentada, aos propósitos explicitados no Plano Estratégico Municipal da Cultura para o concelho de Leiria”, destaca Anabela Graça, vereadora das Cultura na Câmara Municipal de Leiria, acrescentando que, em  Leiria, “a centralidade da cultura afirmou-se pela dinâmica cultural e pelos projetos colaborativos entre instituições e áreas disciplinares”.  “Destaco o papel do associativismo cultural, como elemento fulcral na afirmação identitária e na coesão social e territorial do concelho”, acrescenta.

O Castelo de Leiria voltou a destacar-se como o espaço mais visitado, com 108.533 visitantes, com larga margem sobre o Museu de Leiria (12.877), m|i|mo – museu da imagem em movimento (13.272), CDIL (11.816), Moinho do Papel (10.177), Agromuseu Municipal D. Julinha (2.448) e CIALV (1.302), num ano em que foram promovidas mais de 700 visitas guiadas e 650 atividades educativas produzidas e realizadas internamente.

Destaque ainda para a realização de 24 exposições temporárias, das quais se destaca “Jorge Estrela – esboço de uma biografia”, dedicada à sua vida e obra.

Os museus da rede promoveram ainda um trabalho em rede e em parceria com a comunidade de agentes culturais do concelho, destacando-se a realização de mais de meia centena de atividades/projetos em parceira, e o acolhimento de cerca de seis dezenas de atividades/projetos independentes de agentes externos.

Ao nível dos projetos com maior impacto, assinala-se o “Museu na Aldeia”, que procurou oferecer cultura a idosos de territórios com baixa densidade populacional, melhorando a qualidade de vida de todos os envolvidos.

Este projeto, que teve como principal objetivo ajudar a combater e reduzir a solidão e isolamento, um problema que a situação pandémica veio acentuar, mereceu nos últimos dois anos seis prémios: Prémio na categoria Envolvimento e Sensibilização dos Cidadãos, no âmbito dos Prémios Europeus do Património Cultural / Prémios Europa Nostra; Menção Honrosa na categoria “Projeto de Educação e Mediação Cultural” atribuída pela Associação Portuguesa de Museologia (APOM) no âmbito dos Prémios APOM 2021; Prémios APOM 2021, que venceu na categoria “Inovação e Criatividade”; Prémios Património.pt 2021, que venceu na categoria “Melhor Projecto em Parceria”; 2º Prémio atribuído nas III Jornadas de Intervenção Psicossocial na Comunidade, através do trabalho “Museu na aldeia: Projecto comunitário onde arte e cultura combatem isolamento social e solidão em idosos”; Menção Honrosa atribuída nas III Jornadas de Intervenção Psicossocial na Comunidade, através do trabalho “Caracterização dos níveis de solidão e sintomas de ansiedade e depressão em idosos durante a pandemia de COVID-19: Resultados preliminares de um projeto de intervenção comunitária”.

Refira-se que este projeto, promovido pela Rede Cultura 2027, foi realizado pela Sociedade Artística Musical dos Pousos (SAMP) e financiado pelo POISE – Portugal 2020, através da Iniciativa Portugal Inovação Social, tendo como investidor social a Câmara Municipal de Leiria. Foram parceiros do projeto os Museus e Câmaras Municipais dos territórios onde se desenvolveram.

Oferta cultural alcança mais de 325 mil

Além da rede museológica, oferta cultural no concelho registou ainda mais 326.098 mil pessoas em 2022, um número que contabiliza os participantes nos eventos Leiria Há 100 anos, Leiria Medieval, Teatro José Lúcio da Silva, Cineteatro de Monte Real, Teatro Miguel Franco, Centro Cultural Mercado de Sant’Ana, Leiria Cidade Criativa da Música e Banco das Artes Galeria-BAG.

Este número foi alcançado com uma oferta muito eclética que contou com propostas de grande qualidade, do Município e Movimento Associativo, como o espetáculo “Pantera”, de Clara Andermatt, que marcou a entrada do TJLS na Rede Teatros e Cineteatros Portugueses, concertos para bebés, Leiria Film Festival,  Leiria Poetry Ronda Poética, Mercado da Tradição Feira do Livro, Prove Leiria Doçaria, I Festival Leiria Cidade Criativa da Música, Exposição Nacional de Olaria, Jazz no Centro Histórico (AJL), LIZBRASS – Festival de Metais de Leiria (AFCL), Metadança – 10º edição e Comemoração 150 anos Ernesto Korrodi.

Biblioteca Municipal registou 27.750 empréstimos

A Biblioteca Municipal Afonso Lopes Vieira (BMALV) contabilizou, em 2022, 27.750 empréstimos de livros, publicações periódicas, filmes e música, contando com 2.616 leitores ativos, o que corresponde a um aumento de 44,7% de inscrições de leitores, contando, nos seus projetos de animação e promoção de leitura, com 18.360 participantes.

Na sua atividade em 2022, destaque para a participação de dezenas de autores nas suas atividades, nomeadamente na Feira do Livro, com oito mil visitantes, e na Biblioteca de Praia, com 4.842, tal como a realização de mais de uma dezena de exposições na sua galeria. Destaque ainda para a realização de vários projetos de animação e dinamização de iniciativas no âmbito da Rede Concelhia de Bibliotecas Escolares.

A BMALV faz parte da Rede de Bibliotecas associadas à Comissão Nacional da UNESCO, Rede Nacional de Leitura Pública, integra a Rede de Bibliotecas do Concelho de Leiria e a Rede Intermunicipal de Bibliotecas da Região de Leiria. O seu acervo é constituído por cerca de 118.000 itens, entre livros, DVD, CD, Publicações periódicas, manuscritos, braille, jogos, reservados, cartazes, postais, objetos, entre outros.

    Fonte: DCRP|CML

 

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.