Edição: 267

Diretor: Mário Lopes

Data: 2023/2/3

Anúncio teve lugar no 125.º Aniversário da Restauração do Concelho

Rota do Gelo junta Fábrica de Gelo do Cadaval e Poços da Neve de Castanheira de Pera

António Henriques e José Bernardo Nunes

O Cadaval assinalou o 125.º Aniversário da Restauração do Concelho no dia 13 de janeiro de 2023. A apresentação do novo site e imagem do Município, a assinatura do protocolo para a criação da ‘Rota do Gelo’ com a Câmara Municipal de Castanheira de Pera e as homenagens ao Padre José Inácio Pereira e ao Dr. Luiz Damas Mora marcaram o Feriado Municipal.

O dia arrancou com o Hastear das Bandeiras junto aos Paços do Concelho do Cadaval, um momento presenciado pelo executivo camarário, pelas entidades oficiais, e que foi acompanhado pela sonoridade da Fanfarra dos Bombeiros Voluntários do Cadaval (BVC). Ato oficial que assinalou a abertura do Feriado Municipal e que antecedeu a apresentação do novo site e identidade visual da autarquia.

«Simplicidade e acessibilidade» – Novo site e identidade visual do Município

Ricardo Pintéus, vice-presidente da Câmara Municipal do Cadaval, abriu a sessão de apresentação com uma breve nota sobre o surgimento desta necessidade de modernização da comunicação. «O antigo site estava desatualizado, tanto para o público em geral como para nós, internamente. Por isso, temos andado a trabalhar ao longo de mais de um ano» neste projeto.

O autarca explicou que a conceção do novo portal se baseia na premissa dos ‘três cliques’, para «chegar à informação que nós necessitamos, o que não acontecia no antigo site». Posteriormente, surgiu a ideia da criação de uma nova imagem baseada na Serra de Montejunto, na pera e na uva, «embora não queiramos esquecer o nosso brasão, que estará sempre presente», salientou.

«Como tínhamos Município do Cadaval a verde no nosso site (como título), havia muitas entidades que utilizavam aquilo como se fosse o nosso símbolo, mas na verdade, não era», referiu Ricardo Pintéus.

Seguiu-se a intervenção de Pedro Constantino, da VisualForma, empresa encarregue da criação deste novo portal e nova identidade visual do Município do Cadaval. Considerou ter sido «um desafio muito engraçado, porque tivemos um brainstorming muito grande ao longo deste (quase) ano e meio onde, no início, tivemos cerca de cinco racionais diferentes. Dos cinco, escolhemos este, entre todos e contando com todas as opiniões chegámos a esta composição».

Em relação à nova imagem, salientou ter sido preservado «aquilo que é a identidade e fomos também buscar algumas coisas ao brasão. A cor que existe é a cor do território e quisemos manter, de certa forma, essa identidade que já existia».

Pedro Constantino sublinhou que a base para a criação da imagem «ficou naquilo que é a paisagem do Montejunto. Através das fotos que nos foram passadas e das visitas ao território, chegámos àqueles contornos. Com esses contornos, fizemos um desafio que, de certa forma, trouxesse mudança, mas de forma simples e objetiva. Fomos buscar um bocado da uva, um bocado da pera e que vai chegou àquilo que é a versão final do logótipo».

Sobre a construção do site, começaram pelo que já existia, o site antigo, «que não estava moderno e tinha muita informação. Pretendíamos que em três cliques conseguíssemos chegar à informação pretendida. Cada vez mais, os sites têm que corresponder a essas mesmas ações».

«Todo este site teve em conta uma das regras que está a ser cada vez mais falada naquilo que é a comunicação autárquica, que é o nível de acessibilidade. Este site vai ser proposto à candidatura do selo de acessibilidade onde tentaremos obter o ouro ou, pelo menos, a prata. Todo o site foi construído com esta premissa», acrescentou Pedro Constantino.

Antes de finalizar a sua intervenção e agradecer novamente a oportunidade à autarquia, Pedro Constantino referiu que a ideia fundamental era «passar de um site com muita informação e de difícil pesquisa para algo muito simples e de acesso rápido», e ainda que a «simplicidade e a acessibilidade foram os grandes motes para esta modernização daquilo que é a comunicação institucional».

Protocolo para criação da ‘Rota do Gelo’ assinado com o Município de Castanheira de Pera

Neste 13 de janeiro também foi assinado um protocolo de cooperação com a Câmara Municipal de Castanheira de Pera com vista à criação da ‘Rota do Gelo’. Como é descrito no protocolo, os dois concelhos «têm uma história em comum relativa ao fabrico do gelo, respetivamente, nas serras da Lousã e de Montejunto».

No protocolo é também mencionado que a «Fábrica de Gelo do Cadaval e os Poços da Neve de Castanheira de Pera representam, assim, marcos patrimoniais de uma herança histórica comum relacionada com a produção, armazenamento e distribuição de gelo, consubstanciando para a arqueologia industrial processos de fabrico do mesmo: na Serra de Montejunto, o gelo era fabricado através de lençóis de água distribuídos pelos tanques, expostos às baixas temperaturas das noites de inverno; enquanto na Serra da Lousã era feita a recolha da neve, calcada e armazenada em gelo diretamente nos poços».

Desta forma, as duas autarquias comprometem-se a desenvolver um projeto em comum, que incluirá a ‘Rota do Gelo’, com vista à atração de novos visitantes, «através da oferta de um produto cultural e turístico de qualidade, a partir da valorização e divulgação deste património com características únicas».

Também de referir é a intenção de «aprofundar a investigação histórica e a partilha de conhecimento» sobre esta temática, nomeadamente, no que se refere «ao ofício de neveiro e às técnicas de produção, preservação e distribuição de gelo». A criação de um centro documental e interpretativo nas serras de Montejunto e Lousã, respetivamente, são alguns dos outros compromissos assumidos pelos dois municípios.

José Bernardo Nunes, Presidente da Câmara Municipal do Cadaval, afirmou esperar «que este protocolo gere interações entre os municípios que sejam benéficas para ambos». Já António Henriques, homólogo do Município de Castanheira de Pera, que marcou presença neste ato, salientou que o «grande desafio destes protocolos é pô-los a funcionar no terreno», mas acredita «esta determinação conjunta irá produzir efeitos por largos anos».

«Pelo caminho vínhamos a falar sobre os pontos em comum entre o Cadaval e Castanheira de Pera. São territórios completamente distintos, demograficamente distintos, geograficamente distintos, mas de facto é importante que nessa diversidade consigamos aproveitar os pontos que temos em comum. No fundo, é este o grande objetivo com a celebração deste protocolo, é que possamos, em conjunto, aproveitar e retomar um bocado daquilo que foi a nossa história, daquilo que é o nosso património cultural e que se toca com a produção de gelo. Naturalmente, com métodos completamente distintos, como já foi referido», afirmou o edil castanheirense.

A manhã de comemorações encerrou com a Missa em Honra dos Beneméritos do Concelho do Cadaval, na Igreja Matriz da vila.

Padre José Inácio Pereira e Dr. Luiz Damas Mora relembrados com descerrar de placas

A tarde do 13 de janeiro de 2023 arrancou com duas ações de homenagem póstuma a dois cadavalenses: o Padre José Inácio Pereira e o Dr. Luiz Damas Mora, médico cirurgião reconhecido a nível nacional.

O primeiro descerrar de placa, em honra do Padre José Inácio Pereira, decorreu na casa onde nasceu (Praça da República) e contou com a presença do Presidente da União de Freguesias Cadaval e Pero Moniz, Pedro Gaspar Rodrigues; o Provedor da Santa Casa da Misericórdia do Cadaval, Aristides Sécio; Manuel Branco Ferreira e Luís Corrêa, descendentes e proprietários do edifício onde se prestou a referida homenagem; e António Corrêa, cadavalense dedicado à preservação da história e memória de personalidades locais e também descendente do Padre José Inácio Pereira.

Todos os intervenientes destacaram o importante papel do Padre José Inácio Pereira na criação do Hospital de Nossa Senhora da Conceição e ao lançamento das bases fundamentais da Santa Casa da Misericórdia do Cadaval, que teve o seu compromisso e estatutos aprovados em 1930, seis anos após o falecimento do Padre.

Seguiu-se a homenagem ao Dr. Luiz Damas Mora, com o descerrar de placa junto à sua moradia no Cadaval, na Avenida dos Bombeiros. Neste ato, além das entidades já referidas, também marcaram presença alguns familiares do recém-falecido (maio de 2022) médico cirurgião, nomeadamente o seu irmão, Dr. José Damas Mora. Na sua intervenção recordou vários momentos de convívio passados no Cadaval, com minuciosos detalhes sobre os locais, pessoas e momentos passados, nunca deixando de referir a saudade que a partida do seu irmão deixou em todos.

António Corrêa descreveu o Dr. Luiz Damas Mora como um «ilustre cadavalense e um exemplo de coragem, determinação, humanidade e amigo do seu amigo. Sempre pronto a colaborar desinteressadamente pelas melhoras dos seus doentes». Nesse sentido, «o Cadaval está-lhe eternamente grato».

As celebrações terminaram com a abertura oficial da exposição de rua “Profissões Antigas do Cadaval”, na Praça da República.

    Fonte: SCRP|CMC

Comentários:

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.