Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/12

Obras irão durar 8 meses

Agência Portuguesa do Ambiente investe 1,7 milhões de euros para estabilizar arribas da Nazaré

Walter Chicharro, Pimenta Machado e Hugo Pires

A Agência Portuguesa do Ambiente (APA) apresentou, no dia 25 de janeiro, na Nazaré, o Projeto para a Estabilização das Arribas, um investimento de 1.697.400,00€ (IVA incluído), com financiamento do POSEUR, para realizar em 8 meses, que irá intervir numa extensão desde o miradouro em frente ao largo de Nossa Senhora da Nazaré até à envolvente da plataforma superior do ascensor.

A intervenção visa a estabilização das arribas na zona do Sítio e envolvente da plataforma superior do ascensor, funcionando como ação preventiva, ao atuar diretamente sobre os locais onde os diversos tipos de instabilizações são mais evidentes, garantindo a segurança de pessoas e bens, explicou Pimenta Machado, vice-presidente da APA – Agência Portuguesa do Ambiente.

A área a intervir apresenta, atualmente, vários sinais de instabilidade devido à sua exposição à erosão, o que tem causado a queda de blocos e desmoronamento/e derrocadas pela encosta.

Na zona de intervenção 1, onde se localiza o miradouro do Largo de N. S. Nazaré, será feita a remoção de muros existentes, saneamento e limpeza, e criada uma plataforma suspensa no Bico da Memória, onde a observação da praia e das praias passa a ser feito, retirando a sobrecarga atualmente existente sobre a arriba. Será, ainda, construída uma nova barreira, removidos os depósitos de material e vegetação, e instaladas caleiras de pavimento para a recolha e coleta das águas pluviais.

Na zona de intervenção sobre o ascensor, a intervenção prevista passa pelo saneamento, limpeza e remoção detritos e blocos soltos; remoção de depósitos de material e limpeza das superfícies, execução de muros de revestimento em alvenaria de pedra para preencher cavidades, instalação de rede metálica de proteção reforçada; barreira dinâmica flexível para proteção do canal do ascensor e uma vala intercetora do percurso de escorrência das águas pluviais.

O presidente da Câmara da Nazaré, Walter Chicharro disse que esta é “uma obra muito ansiada e necessária” uma vez que se trata de uma área de forte concentração de pessoas que se deslocam à Nazaré em turismo ou visitas pontuais, movidos pela curiosidade de conhecer a onda gigante da praia do Norte “que tanto tem promovido Portugal lá fora”, tendo apelado a que a mesma seja feita de forma coordenada com o Município da Nazaré.

“O primeiro projeto que conhecemos não contemplava a zona da arriba por cima do ascensor. Acredito que foi o alerta do Município que levou a APA a incluir esta zona e a reformular o projeto”, disse o autarca, reforçando a necessidade de coordenação das intervenções planeadas com a Autarquia “a bem da sua realização e dos que dela irão usufruir no futuro”.

O autarca aproveitou a presença de vários representantes da APA e programas de financiamento para se referir à estrada do farol “uma das mais frequentadas do país onde as arribas também devem ser olhadas com atenção.”

Por sua vez, o secretário de Estado do Ambiente, Hugo Pires, começou por dar conta da sua satisfação em estar na cerimónia desta quarta-feira. “São momentos como este que nos dão a oportunidade de ir ao território e ver os principais desafios e preocupações dos representantes locais e das populações, e da forma como as várias entidades se articulam para encontrar respostas para estes mesmos desafios.”

Na sua estreia em eventos públicos, Hugo Pires manifestou, ainda, a satisfação por este passo estar a ser dado. “A presente intervenção conduzida pela APA traduz-se num investimento de cerca de 1,7 milhões de euros em dois locais distintos, mas igualmente importantes, como são o Sítio da Nazaré e a zona envolvente da zona superior do ascensor, prevendo todas as condições de acesso e permanência a quem é atraído a este património que dá corpo ao famoso milagre da Nazaré, um dos lugares mais emblemáticos da região. Estou, por isso, confiante que rapidamente veremos o resultado deste esforço conjunto e que esta obra juntar-se-á a um catálogo de outras intervenções da APA já realizadas ou em curso.”

Até à data, foi feito investimento nos esporões do rio Alcoa (3,8M) no concelho da Nazaré; a reabilitação dos esporões do Rio Liz (1,5M) e a dragagem da lagoa de Óbidos (14,7 M) que perfazem um investimento de 21,250 milhões de euros na Região, inseridos num investimento global de 140 milhões projetado para o litoral, previsto no POSEUR, destinado a fazer face aos desafios que as alterações climáticas convocam.

“É fundamental encarar a adaptação às alterações climáticas em todas as vertentes: prevenção, proteção, e acomodação, tornando o território mais resiliente e adaptado,” disse o secretário de Estado.

Nos últimos 60 anos, Portugal perdeu 13,3 quilómetros quadrados de território devido ao efeito das alterações climáticas e subida dos níveis de água, tendo o secretário de Estado destacado, por isso, a importância das intervenções no âmbito dos Programas de Orla Costeira (POC), do Programa COSMO e do Plano de Ação Litoral XXI.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.