Edição: 284

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/7/18

Nos próximos dois anos

Município assina Protocolo com USF da Chamusca e atribui apoio financeiro a profissionais de saúde

Sessão de assinatura do protocolo

O Município da Chamusca celebrou na sexta-feira, dia 27 de janeiro, no Edifício Paços do Concelho, um protocolo de colaboração administrativa com a Unidade de Saúde Familiar da Chamusca (USF), que visa a atribuição de um apoio financeiro no valor de cerca de 130 mil euros.

O protocolo, que estará em vigor durante os próximos 24 meses, foi celebrado ao abrigo do Regulamento Municipal de Atribuição de Incentivos à Fixação de Médicos e Equipas da Unidade de Saúde Familiar do Concelho da Chamusca, aprovado em setembro de 2022.

O Município pretende que esta medida seja um incentivo à captação e fixação de novos profissionais de saúde no Concelho e uma motivação para que a equipa multiprofissional de saúde familiar consiga cumprir com os objetivos contratualizados, anualmente, com o Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) da Lezíria, para que possa evoluir de uma USF Modelo A para uma USF Modelo B, garantindo que os cerca de 8 749 utentes do concelho possam ter acesso a Médico de Família e as extensões das várias freguesias do Concelho se mantenham todas em funcionamento.

Ao abrigo desta medida de incentivo 10 profissionais de saúde (dois Médicos, cinco Enfermeiros e três Assistentes Técnicos), já integrados na USF da Chamusca, assinaram na passada sexta-feira o protocolo, no qual se comprometem a manter o vínculo a esta USF durante os próximos 24 meses, não podendo requerer mobilidade para outras unidades ou serviços nos dois anos subsequentes.

Para beneficiar deste apoio e para que a equipa fique completa estão ainda por preencher três vagas na categoria de Médico e uma na categoria de Assistente Técnico. Os interessados deverão contactar a USF da Chamusca (249 769 170) ou a Câmara Municipal da Chamusca através do email gap@cm-chamusca.pt.

O Município da Chamusca considera que a grave carência na prestação de cuidados de saúde à população do Concelho impõem medidas estratégicas de impacto não só de curto prazo, mas também a médio e longo prazo, que visem não apenas a sua resolução momentânea, mas que constituam um efetivo fator de motivação para a equipa multiprofissional de saúde familiar, numa clara valorização do seu papel na prestação de cuidados de saúde às famílias e atendendo aos pressupostos da criação das USF, no que respeita à maior proximidade aos cidadãos, ao incentivo à participação ativa dos utentes na orgânica da Unidade e a uma maior dinâmica comunitária, nomeadamente no que diz respeito à saúde preventiva, bem-estar e qualidade de vida para todos.

O Município da Chamusca acredita que a construção da nova Unidade de Saúde Familiar da Chamusca, da responsabilidade da Administração de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (orçada em mais de um milhão de euros), possa ser também um fator atrativo e decisor na captação de novos profissionais de saúde, tendo em conta que esta estrutura vital e de extrema importância para toda a população vem proporcionar um espaço de qualidade superior aos seus utentes, oferecendo-lhes melhores condições de atendimento, assim como oferecer melhores condições de trabalho e de conforto aos profissionais de saúde, não só para os que já nele trabalham, mas também para atrair e fixar novos profissionais de saúde.

USF da Chamusca pretende evoluir para o Modelo B

A USF da Chamusca continua a ser uma USF Modelo A, sendo que para evoluir para uma USF Modelo B terá de cumprir com todos os objetivos contratualizados, anualmente, com o ACES Lezíria, nomeadamente ter uma equipa de profissionais de saúde sólida, constituída por cinco médicos, cinco enfermeiros e quatro assistentes técnicos, que garanta que os cerca de 8 749 utentes do concelho tenham acesso a Médico de Família.

Para além de assumirem objetivos mais desafiantes, os profissionais de saúde integrados numa USF Modelo B auferem rendimentos bastante superiores aos de uma Modelo A e é neste sentido que este apoio, agora, dado pelo Município é fulcral para atrair, captar e fixar novos profissionais de saúde e assim conseguir constituir a equipa que permita evoluir de um Modelo A para um Modelo B.

As várias e recorrentes pressões por parte da Câmara Municipal e da Assembleia Municipal da Chamusca, assim como das Juntas de Freguesia junto do ACES, da ARS e do Ministério da Saúde têm sido infrutíferas, levando a crer que o Concelho da Chamusca é muitas vezes esquecido no panorama da saúde nacional. As soluções que têm vindo a ser apresentadas não resolvem as carências existentes e revelam-se apenas soluções temporárias que acabam passados poucos meses por resultar nas mesmas situações de carência, uma vez que a saída de médicos não dá imediatamente lugar à sua substituição.

Refira-se que o Município da Chamusca, tem vindo ao longo dos anos a colaborar quer com a USF e demais unidades locais, quer com a Administração Central, assumindo um papel ativo e de cooperação com os diversos agentes da área da saúde. A captação de médicos, per si, não se afigura como opção plenamente viável face ao problema, tendo em conta que os resultados de uma USF resultam de um trabalho em equipa de saúde familiar, totalmente orientado para a comunidade e para as pessoas.

O novo Centro de Saúde, que deverá ficar concluído ainda este ano, trará novos desafios à equipa, que na altura da sua abertura espera-se que esteja solidamente constituída e motivada para alavancar a qualidade na prestação de cuidados de saúde no Concelho, não só na sede, como em todas as Extensões de Saúde.

Freguesia da Carregueira passa a integrar USF da Chamusca

Nos últimos anos a USF e a Unidade de Cuidados de Saúde Personalizados da Chamusca (UCSP) têm vindo a sofrer grandes constrangimentos com a carência de recursos humanos, não só de médicos, como também de enfermeiros e assistentes técnicos, constrangimentos esses que, para além de acarretarem períodos prolongados de falhas ao nível da prestação de cuidados de saúde à população, têm acarretado também uma grande rotatividade de profissionais, o que tem prejudicado gravemente o acompanhamento do estado de saúde dos utentes do Concelho, sobretudo dos mais isolados e dos mais vulneráveis, como doentes crónicos, doentes oncológicos, crianças, idosos ou grávidas, entre outros.

A USF da Chamusca e a UCSP estão integradas no ACES da Lezíria e servem a população do Concelho dispersa pelas várias freguesias e localidades.

Contudo, a UCSP a funcionar na extensão de saúde da freguesia da Carregueira, a única freguesia do concelho até agora fora da USF da Chamusca, apesar de prestar cuidados de saúde à população daquela localidade, não garante Médico de Família para os seus mais de 1700 utentes. De forma a colmatar esta situação e a dar uma resposta mais abrangente à população, a Carregueira passa agora a fazer parte também da USF da Chamusca, o que faz com que todas as Freguesias e Uniões de Freguesia do concelho da Chamusca passem a estar integradas na USF da Chamusca.

     Fonte: GC|CMC

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.