Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/22

Depois de ter sido chumbado em dezembro

Orçamento Municipal da Marinha Grande para 2023 aprovado por maioria

Paços do Concelho da Marinha Grande

A Assembleia Municipal da Marinha Grande aprovou, por maioria, no dia 10 de março, os documentos previsionais para o ano 2023, incluindo as Grandes Opções do Plano, Mapa de Pessoal e Orçamento. Recorde-se que o primeiro orçamento foi reprovado no final de 2022 com votos do PS e da CDU, partidos que agora se abstiveram, viabilizando assim o documento.

O Orçamento para 2023, que tem o valor de 32.495.172,00€, congrega um conjunto de projetos, atividades e obras que têm em vista o desenvolvimento sustentável do concelho e a promoção da melhoria das condições de vida da população. Foi também aprovada a revisão orçamental para incorporação do saldo de gerência de 2022, no valor de 14.736.862,26€.

O presidente da Câmara Municipal, Aurélio Ferreira, salienta que “a aprovação do Orçamento permite que continuemos a concentrar a nossa ação na coesão social, bem-estar da população e a potenciar a Marinha Grande como centro económico e de empreendedorismo”. O presidente salienta que “as principais linhas orientadoras para 2023 são os investimentos em áreas que consideramos prioritárias, como habitação social, saneamento, pavimentações, projetos candidatados, elaboração de projetos que possam ser submetidos a candidaturas a verbas comunitárias, apoio ao movimento associativo e incremento da educação e atividade cultural”.

Comparativamente a 2022, o valor do orçamento com introdução de saldo de gerência é semelhante, mas há um acréscimo significativo das despesas correntes, em detrimento das despesas de capital, “à qual somos completamente alheios, resulta dos incrementos nos preços que temos de pagar, como consequência das condições que vivemos no país, como são disso exemplo o tratamento de águas residuais, iluminação pública, energia, resíduos sólidos, inflação, aumento do preço das obras, despesas decorrentes da delegação de competências, entre outros”, acrescenta Aurélio Ferreira.

As principais áreas de investimento do Orçamento são: habitação social (Camarnal Novo, Moita e manutenção); saneamento (Trutas – fases 3 e 4, Pilado e Moita); pavimentações em todo o concelho; novos projetos de candidaturas (Creche da Ivima, Residência de estudantes Albergaria Nobre, Armazéns da Arte Xávega, Bio resíduos, Ciclovia/troço 3, Auditório António Campos).

De entre as obras inscritas no Orçamento Municipal de 2023, destacam-se: sanitários da Praia da Vieira; requalificação do ponto de água da Escoura; aquisição e grandes reparações de equipamentos de jogo e recreio para o ensino pré-escolar e 1º ciclo; equipamentos de resíduos sólidos; requalificação da Escola da Moita e Joao Beare; edifício de assistência e solidariedade social; edifício do Património Stephens; coberturas dos Blocos 1 a 8 do Casal de Malta; redes de drenagem das águas residuais domésticas e pluviais da Rua das Chedas; diversas redes de águas residuais no concelho; novos furos de captação de água; remodelação da rede de abastecimento de águas em Picassinos, Pedrulheira e Tojeira; obras de remodelação de abastecimento de água em baixa; aquisição de equipamento para recolha de e transporte de resíduos sólidos.

Estão também inscritos a requalificação da zona do estuarino, na Praia da Vieira; musealização do Museu do Vidro; projeto da nova piscina municipal; requalificação do Pavilhão Albino Reis Paulo (Vieira de Leiria); reparação de infraestruturas desportivas; obras de remodelação e pavimentação diversas; finalização da requalificação da Rua do Sol; requalificação da Rua Soldado Adriano (Moita); conclusão da revisão do PDM.

Para além de todos estes investimentos, o Município irá focar-se na elaboração de projetos essenciais ao concelho, para futuras candidaturas comunitárias.

    Fonte: GCI|CMMG

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.