Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

Sete dezenas de pessoas participaram na sessão de debate

Futuro terminal da Rodoviária junto às piscinas de Leiria agrada a 88% dos presentes no debate

Atual terminal rodoviário da Avenida Heróis de Angola

Cerca de sete dezenas de pessoas participaram esta terça-feira, dia 4 de abril, numa sessão pública de apresentação e debate do estudo de localização do futuro terminal rodoviário, em Leiria, uma iniciativa enquadrada no processo de decisão participada promovido pelo Município de Leiria.

Após a realização das reuniões, foi solicitado aos participantes o preenchimento de um formulário para recolha de sugestões e colocadas duas questões. À pergunta “Concorda com a deslocalização (saída) do atual terminal rodoviário da Avenida Heróis de Angola?”, 96,5% responderam sim, enquanto à questão “Concorda que a localização preferencial para a nova Central Coordenadora de Transportes (CCT) é a alternativa B1 [junto às piscinas] conforme proposto no estudo?” 87,7% responderam sim e 12,3% não.

Neste debate, que girou em torno do estudo que aponta a zona desportiva como melhor localização, os participantes tiveram oportunidade de esclarecer dúvidas, manifestar opiniões e deixar sugestões, uma iniciativa que se soma a uma série de oito reuniões ocorridas na passada semana com representantes das forças vivas da cidade, com o objetivo de contribuir para um processo participado e esclarecido sobre uma decisão com impacto estrutural para o concelho de Leiria.

Na sessão, o presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, manifestou a sua satisfação com a grande participação pública num processo de debate, que decorreu de forma elevada e transparente, contribuindo para pôr as pessoas a pensar Leiria.

Gonçalo Lopes referiu ainda que a intenção de venda da atual gare rodoviária, que desencadeou este processo de deslocalização, constitui uma dupla oportunidade para Leiria, uma vez que contribui para a resolução de um problema ambiental e de mobilidade com redução de trânsito no centro na cidade e dá origem a um investimento privado que terá enorme importância na regeneração e melhoria do nível de qualidade de vida e atratividade da Av. Heróis de Angola.

Esta sessão sucede-se a um conjunto de encontros com representantes das Forças Vivas concelhias, promovidas com o objetivo de recolha de contributos para a decisão final relativa à escolha do local, uma necessidade resultante da existência de negociações para a venda do edifício, pela entidade proprietária da atual gare da rodoviária, na Avenida Heróis de Angola, situação que obriga o Município a avançar com a construção de um novo terminal para garantir a prestação deste serviço de enorme importância para a população.

Nesta sessão, o vereador da Mobilidade do Município de Leiria, Luís Lopes, fez a apresentação das principais conclusões do estudo que aponta a zona desportiva como melhor localização.

O estudo avalia diversas variáveis, como a proximidade ao centro da cidade e a importância do terminal para a dinamização do comércio tradicional e do mercado municipal, distância às escolas e serviços, tal como os usos do solo, acessibilidades e viabilidade económica.

Na reunião, o vereador considerou que a localização junto às piscinas, do lado da rotunda do Estádio, com acesso ao terminal pela Av. Bernardo Pimenta/Ponte Euro 2004, é a solução mais favorável, num modelo que não condicione a realização de eventos como a Feira de Leiria e a atividade no Estádio, devendo ser complementada com pontos de chegada e correspondência no centro da cidade e junto às escolas.

Foi ainda destacado o facto de esta localização representar um investimento muito inferior que as restantes opções, por não ser necessário adquirir terrenos para a sua implantação.

Após a realização das reuniões, foi solicitado aos participantes o preenchimento de um formulário para recolha de sugestões e colocadas duas questões.

À pergunta “Concorda com a deslocalização (saída) do atual terminal rodoviário da Avenida Heróis de Angola?”, 96,5% responderam sim, enquanto à questão “Concorda que a localização preferencial para a nova Central Coordenadora de Transportes (CCT) é a alternativa B1 [junto às piscinas] conforme proposto no estudo?” 87,7% responderam sim e 12,3% não.

    Fonte: DCRP|CML

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.