Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/12

Grande maioria de inquiridos quer mudança de local de esquadras da PSP e GNR

Leirienses pedem mais efetivos das forças de segurança nas ruas e melhoria de meios de trabalho

Sede do Comando Territorial de Leiria da GNR

Um estudo de opinião realizado no concelho de Leiria revela que 66% da população considera as forças de segurança insuficientes e elege como principal solução o aumento de efetivos nas ruas, mas manifesta um elevado sentimento de segurança.

No estudo, encomendado pelo Município de Leiria e apresentado esta terça-feira, de abril,  na reunião do Conselho Municipal de Segurança, esta conclusão resulta da resposta à questão “o que falta às forças de segurança”, sendo apontado, em segundo lugar, a necessidade de mais meios disponíveis (17%) e em terceiro lugar o aumento do número de esquadras e postos de GNR (9%).

A necessidade específica de mais efetivos da GNR/PSP é sentida por metade dos inquiridos, sendo que para um terço os efetivos existentes são em número suficiente.

Em relação à quantidade de Postos da GNR e Esquadras da PSP as opiniões estão divididas. Aproximadamente quatro em cada dez inquiridos consideram suficientes e outros quatro pensam de forma contrária.

A grande maioria dos inquiridos (82%) concorda com a mudança de localização do Comando Distrital da PSP e 80% com a mudança de localização do Comando Territorial da GNR

Apesar da perceção relativamente à falta de efetivos e meios, a maioria dos entrevistados faz avaliação positiva ao sentimento de segurança: 84% dos inquiridos manifestaram-se seguros ou muito seguros e apenas 4% pouco ou nada seguros ao andar sozinho na sua área de residência durante o dia, valores que descem para 68% e 13%, repetivamente, durante a noite.

O mesmo estudo diz que 59% não teve conhecimento de qualquer ato de violência na sua zona de residência, 12% referiram um raro caso, enquanto 23% refere situações pontuais e 6%  soube de várias situações.

O sistema de videovigilância, que vai receber um incremento de 42 câmaras este ano na cidade, é  visto como uma grande mais-valia para aumentar a segurança nas ruas pela grande maioria dos inquiridos (88%).

Na reunião do Conselho Municipal de Segurança foi ainda efetuada uma avaliação da evolução das situações de criminalidade ocorridas no concelho de Leiria no último ano, em que se regista uma tendência de aumento do número de crimes contra o património, segundo informações prestadas pela PSP e GNR, e foram abordados alguns desafios esperados este ano, como a realização das Jornadas Mundiais da Juventude, que em Julho trarão cerca de 10 mil jovens à Diocese de Leiria-Fátima.

No encontro foi deixado um alerta para o crime de natureza digital e para a necessidade de serem adotados cuidados acrescidos por parte da população, nomeadamente para o risco de burlas, tal como para a criminalidade nesta área que o sector empresarial, devendo adotar medidas para reforçar o nível de cibersegurança.

O presidente da Câmara Municipal de Leiria, Gonçalo Lopes, considerou que o estudo demonstra que existe um grande reconhecimento e respeito pelo trabalho da PSP e GNR e um pedido de melhoria de meios ao seu dispor, considerando que é necessário um reforço de investimento por parte do Governo na melhoria das infraestruturas ao dispor das forças de segurança.

“Há um sentimento generalizado de perceção de segurança”, disse, dando nota de alguns desafios que o concelho enfrenta na área da segurança, nomeadamente resultantes do aumento populacional e seu impacto em várias áreas, nomeadamente ao nível do trânsito em algumas zonas da cidade.

No Conselho Municipal de Segurança têm assento representantes da Câmara Municipal, Assembleia Municipal, Juntas e Uniões de Freguesia, Ministério Público, GNR, PSP, PJ, SEF, Corporações de Bombeiros, Comissão para a Dissuasão da Toxicodependência do Distrito, Diocese de Leiria/Fátima, Segurança Social, Serviço de Reinserção Social, Federação das Associações Juvenis, Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, Nerlei, Acilis e União de Sindicatos do Distrito.

Entre as competências do Conselho estão, entre outras, a emissão de pareceres sobre temas como a evolução dos níveis de criminalidade na área do Município, o dispositivo legal de segurança e a capacidade operacional das forças de segurança, os índices de segurança e o ordenamento social, tal como os resultados da atividade Municipal de Proteção Civil e de combate a incêndios, a prevenção da toxicodependência, e ainda questões relacionadas com sinistralidade rodoviária ou violência doméstica.

 

FICHA TÉCNICA

Universo: Indivíduos maiores de 18 anos residentes no concelho de Leiria.

Objetivo do estudo: O objetivo principal do estudo consiste na recolha da opinião dos residentes do Município de LEIRIA relativamente à Segurança no concelho.

Amostra: Amostragem por quotas, obtida a partir de uma matriz cruzando sexo, idade e freguesia, a partir do universo conhecido, reequilibrada por género (2), grupo etário (4) e zona de residência (5). A amostra teve 609 entrevistas efetivas: 202 entre os 18 e os 34 anos, 194 entre os 35 e os 49 anos, 134 entre os 50 e os 64 anos e 79 para os 65 e mais anos.

Técnica: Entrevistas telefónicas – metodologia CATI (Computer Assisted Telephone Interviewing) do questionário adaptado ao suporte utilizado. O trabalho de campo decorreu entre 16 e 27 de janeiro de 2023.

Erro probabilístico: O processo amostral, não sendo aleatório, implica a não indicação do erro probabilístico. Contudo, para efeitos de comparação, para uma amostra probabilística com 609 entrevistas, o desvio padrão máximo de uma proporção é 0,020 (ou seja, uma “margem de erro” – a 95% de 3,97%).

Responsabilidade do estudo: Aximage – Comunicação e Imagem Lda., sob a direção técnica de Ana Carla Basílio.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.