Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/22

Nas comemorações do 25 de Abril em Vieira de Leiria

Município da Marinha Grande homenageia resistente antifascista Domingos Abrantes

Domingues Abrantes e Conceição Matos foram recebidos no Cine-Teatro Actor Álvaro

As comemorações do 49.° aniversário do 25 de Abril na freguesia de Vieira de Leiria tiveram início este domingo, 23 de abril, no Cine-Teatro Actor Álvaro, com o concerto de Carlos Vicente e João Miguel, seguido da intervenção de Domingos Abrantes, mediada pelo jornalista João Luís Gomes, da Agência Lusa.

A iniciativa organizada pela Junta de Freguesia de Vieira de Leiria, com o apoio do Município da Marinha Grande, contou com a presença do presidente da Câmara Municipal da Marinha Grande, Aurélio Ferreira; do presidente da Junta, Álvaro Cardoso; do presidente da Assembleia de Freguesia, Rui Rodrigues; entre outros convidados e público.

Após a interpretação de temas de intervenção num tributo a José Afonso pelos músicos, a sessão prosseguiu com as partilhas de Domingos Abrantes, de 87 anos, considerado como um exemplo de resiliência e de luta pela democracia, que admitiu sentir-se “feliz por ter contribuído para a conquista da liberdade” e por “ter sido educado no dever de lutar” por esse valor.

Para o presidente da Câmara, “Domingos Abrantes é uma inspiração, que testemunhou as agruras da PIDE e esteve sempre focado no propósito maior que foi a luta incansável pela liberdade”. Aurélio Ferreira acrescenta que “é a homens e mulheres como Domingos Abrantes e a sua esposa, Conceição Matos, que o País deve reconhecer o seu mérito na conquista da liberdade e democracia”.

Domingos Abrantes é natural de Vila de Franca de Xira e é um político português que dedicou parte da sua vida à luta antifascista contra o Estado Novo. Militante do Partido Comunista Português, foi membro do Conselho de Estado entre 2016 e 2022 e deputado à Assembleia da República entre 1976 e 1995.

Foi preso pela PIDE pela primeira vez em 1959, no Aljube, participou na famosa fuga da prisão de de Caxias de 1961 e, posteriormente, esteve preso em Peniche entre 1965 e 1973.

Fonte: GCI|CMMG

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.