Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/28

Unidade do Grupo Visabeira em destaque nos “Óscares do Imobiliário”

Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel distinguido com o Prémio Nacional de Reabilitação

José Costa (Grupo Visabeira) e Francisco Campilho (Victoria Seguros)         (Foto: Joaquim Morgado- Magazine Imobiliário

O Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel, unidade dos Empreendimentos Turísticos Montebelo, foi galardoado com o “Prémio Reabilitação”, no âmbito do Prémio Nacional do Imobiliário 2023.

O Prémio Nacional do Imobiliário, que existe desde 1997, também conhecido por “Óscares do Imobiliário”, é uma iniciativa da revista Magazine Imobiliário. O “Prémio Reabilitação” destacou o projeto de requalificação do Claustro do Rachadouro do Monteiro de Alcobaça, que deu lugar ao Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel, o mais recente hotel 5 estrelas do Grupo Visabeira.

O júri, que integrou especialistas, técnica e profissionalmente representativos no setor e responsáveis da publicação, renderam-se ao trabalho efetuado no Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel, edificado no Claustro do Rachadouro, do Mosteiro de Alcobaça, datado do século XII, classificado como Monumento Nacional desde 1910 e integrante da Lista do Património Mundial da Unesco desde dezembro de 1989.

O Montebelo Mosteiro de Alcobaça, a sétima unidade hoteleira da Montebelo Hotels & Resorts, foi inaugurado em novembro de 2022, pelos Presidentes da República de Portugal e de Moçambique, constituindo um investimento de 24,5 milhões de euros por parte do Grupo Visabeira.

Montebelo Mosteiro de Alcobaça Historic Hotel

O projeto teve a assinatura do prestigiado arquiteto Eduardo Souto Moura, cuja obra é reconhecida e valorizada à escala global, como atestou a atribuição do Prémio Pritzker em 2011, o mais relevante prémio internacional no universo da arquitetura.

O conceito do Arquiteto Eduardo Souto Moura para ressuscitar o vetusto edifício foi inspirado no minimalismo e desapego da vida conventual, limpando o mesmo das inúmeras intervenções mais recentes e recuperando o espírito que marcou o imóvel ao longo dos séculos.

Esta visão de arquitetura conseguiu destacar o virtuosismo e qualidade de materiais nobres como a pedra, a madeira, as peles, o aço e o vidro, em perfeito união com as seculares raízes do edifício e o irrepreensível respeito pelas pré-existências e pela história do Mosteiro, acentuando desta forma a reversibilidade material que constitui uma referência desta intervenção.

Para além do projeto, o Arquiteto Eduardo Souto Moura foi, também, o responsável pelo design do mobiliário, especialmente desenvolvido para o hotel e pela decoração do espaço, onde integrou, inclusivamente, algumas peças de autor do seu colega e amigo Álvaro Siza Vieira.

Este projeto é um exemplo de como a articulação entre a atividade privada e o património público dá respostas à recuperação e manutenção de espaços, tendo a intervenção constituído uma responsabilidade incomensurável, dadas as condições de degradação em que se encontrava aquela ala do monumento.

Ao mesmo tempo, foi um enorme desafio à capacidade de engenharia e de adaptação do espaço ao conforto e segurança que contemplam a experiência hoteleira contemporânea, numa intervenção que valorizasse a existência social e cultural do património, integrando-o harmonicamente nas necessidades funcionais da unidade hoteleira, sem perder o espírito do edificado.

Desta simbiose, resultou um hotel de categoria 5 estrelas, dotado com 91 unidades de alojamento, distribuídas por quartos singles e duplos; quartos familiares; suites e uma master suíte e que é já uma enorme referência não só a título do turismo de lazer, como de eventos corporate.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.