Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/24

Após 60 reuniões na Câmara Municipal

PS de Alcobaça acusa executivo municipal de cumprir serviços mínimos

Carlos Guerra

Passados 8710 dias como vereador, 600 dias como presidente de Câmara, 60 reuniões do executivo da Câmara de Alcobaça, os vereadores do Partido Socialista consideram que a gestão do presidente Herminio Rodrigues continua com “a sua liderança emperrada, sem engenho nem arte para apresentar novas ideias para o concelho.”

“Estamos desapontados com esta maioria PSD. Desapontados e preocupados, porque ao fim deste tempo ainda não percebemos o que quer esta maioria, não conseguimos vislumbrar ideias novas, sentimos um Presidente isolado, sem forças e sem apoios para cumprir o seu programa eleitoral, com uma equipa de vereadores desinteressados e nada audazes”, sublinham Carlos Guerra, António José Henriques e Liliana Vitorino.

E “estamos preocupados com uma governação que começa a apresentar sinais de descontrolo e desorientação, que teima em não querer discutir projetos estratégicos para o município, limitando-se a cumprir serviços mínimos, a constituir cargos e colocações de promessas antigas, a distribuir milhões de euros em subsídios, muitos sem critério e sem objetivos estratégicos”, garantem.

Os autarcas socialistas lamentam que “o PSD tenha rejeitado discutir regulamentos estratégicos para o município: Área de Localização Empresarial da Benedita (ALEB), pavilhão multiusos de Alcobaça, apoios ao desporto e cultura, mobilidade e transportes escolares, apoios sociais, reabilitação urbana, entre outros.”

Lamentam ainda “a rejeição pelo PSD das propostas referentes ao regimento das reuniões de Câmara para uma maior transparência da gestão autárquica, às medidas para a eficiência energética, gestão e poupança da água, a isenção do IMI às associações, a proposta táxi ‘saúde+65’, o alargamento do CHITA, o transporte gratuito para os alunos, o investimento no saneamento, a falta de internet nas escolas e espaços públicos, entre muitas outras” e criticam “a demora deste executivo na revisão da delegação de competências nas freguesias.”

Este conjunto de medidas que o PS considera necessárias, fundamentais e estratégicas para o concelho, foram todas rejeitadas pelo PSD, mas “se forem aceites – o PSD ainda está a tempo de as reconsiderar -, serão um forte contributo para o desenvolvimento do nosso território e para a melhoria da qualidade de vida dos munícipes de Alcobaça.”

Os vereadores do Partido Socialista reiteram que “este executivo PSD começa a dar sinais de não estar à altura dos enormes desafios que o concelho tem pela frente, continuando com uma governação ‘a arder em lume brando’ e sem a chama suficiente para alavancar o desenvolvimento deste município, que merece muito mais com políticas diferentes e mais arrojadas.”

Carlos Guerra, António José Henriques e Liliana Vitorino asseguram que teriam feito muito diferente. “As propostas e medidas que apresentámos teriam motivado o investimento e desenvolvimento, contribuído decisivamente para a eficiência energética e poupança de água, impulsionado a recuperação e reabilitação urbana, a melhoria das condições das escolas e da vida dos alunos com infraestruturas de rede de internet e transportes gratuitos para todos os alunos, não teríamos descurado os apoios sociais aos carenciados, aos idosos, aos bombeiros e aos voluntários e potenciado a participação das freguesias através de uma verdadeira autonomia administrativa e financeira e das associações com politicas de apoio claras na distribuição criteriosa de subsídios ao desporto, cultura e apoios sociais e não teríamos esquecido os colaboradores da CM e dos SMAS a quem queremos proporcionar a sua valorização profissional e pessoal”, ou seja, “teríamos governado”, concluem.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.