Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/22

Autarca desempenhava o cargo há 10 anos

Vereadora Inês Silva apresenta demissão da Câmara Municipal de Alcobaça e surpreende a oposição

Inês Silva

A vereadora Inês Silva apresentou, na terceira semana de julho a demissão da Câmara Municipal de Alcobaça, através de uma carta endereçada ao presidente Hermínio Rodrigues. O PS admite ter recebido com surpresa a notícia da demissão da vereadora do PSD, pois “embora sendo claro o sistema presidencialista que Herminio Rodrigues instalou neste executivo camarário, há uma maioria absoluta do PSD a governar o concelho e a equipa foi escolhida pelo Presidente com total liberdade democrática. Os munícipes foram chamados a votar, escolheram esta equipa e, assim sendo, há a responsabilidade do presidente em dar contas e prestar esclarecimentos inequívocos sobre as reais razões da demissão da vereadora Inês Silva.”

Nem Inês Silva nem Hermínio Rodrigues tornaram público o teor da “carta de demissão” mas os vereadores socialistas consideram “inevitável que essas explicações sejam dadas pelo presidente, não só ao PS, partido eleito para a vereação, mas acima de tudo aos munícipes que votaram e lhes deram a maioria absoluta.Importa saber o que se passou neste executivo com maioria absoluta em que era suposto haver estabilidade governativa e não roturas tão importantes.”

Os vereadores socialistas especulam que as divergências poderão ser “lutas de poder interno” ou “divisão do concelho norte-sul” e questionam, “com estas roturas, e em maioria absoluta, como seria a governação de Hermínio Rodrigues com maioria simples.”

Por outro lado, consideram “importante refletir sobre a cultura, educação e todos os pelouros que a vereadora liderava, quem a substitui e quais as linhas condutoras e as políticas a seguir. Uma das grandes divergências políticas manifestadas pelo PS com o executivo é a questão da estratégia para a Cultura, que se tornou um setor muito importante para a economia circular.”

Por isso, o PS faz votos para que este seja um momento de reflexão, que o PSD se abra ao diálogo nesta e noutras causas e que seja possível construir um Concelho coeso e dinâmico em todas as matérias. O PS aguarda a reunião de Câmara do dia 31 de julho para ouvir as explicações do presidente sobre as razões da demissão da vereadora, que era também vice-presidente, e faz votos para que essas explicações sejam claras, a bem da governação do concelho de Alcobaça.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.