Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/18

Ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior Elvira Fortunato esteve presente

Bairro académico de Torres Vedras ganha forma com inauguração de duas residências estudantis

Carlos Rabadão, Elvira Fortunato e Laura Rodrigues descerraram a placa inaugurativa

No dia 21 de novembro foram inauguradas as residências estudantis em pleno centro histórico de Torres Vedras, numa cerimónia que contou com a presença da ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Elvira Fortunato, da presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, Laura Rodrigues, e do presidente do Politécnico de Leiria, Carlos Rabadão.

Na sua intervenção, a presidente da Câmara Municipal destacou que as residências estudantis consolidam o conceito de construção de um “Bairro Académico” no centro histórico, iniciado em 2017 com a instalação do núcleo de formação do Politécnico de Leiria nesta zona nobre da cidade. “A construção deste ecossistema educativo concorre para a concretização da estratégia da Câmara Municipal na regeneração dos sistemas urbanos, respondendo às dinâmicas do território e às necessidades das populações”, referiu a autarca. Acrescentou ainda que estas iniciativas garantem a igualdade de oportunidades no ensino e a promoção do sucesso escolar, o que é também um desígnio do Município.

A ministra da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, referiu que a criação de residências estudantis é o resultado de um esforço conjunto entre o governo, a autarquia e as instituições do ensino superior e que vai permitir que os jovens consigam estudar e ganhar competências que lhes garantam a liberdade de escolha quanto ao seu futuro. “Vale a pena estudar. Estudar dá-nos liberdade”, referiu, perante uma plateia composta por muitos alunos do Politécnico de Leiria a estudar em Torres Vedras. A ministra sublinhou que estes projetos que beneficiam do Plano de Recuperação e Resiliência, e em especial as residências estudantis, serão recordados de forma muito positiva pela sua capacidade de transformação dos espaços em que acontecem.

Na sua intervenção, o presidente do Politécnico de Leiria agradeceu o apoio da Câmara Municipal de Torres Vedras, que afirmou ter sido fundamental para o alargamento da oferta formativa da instituição que conta com cinco escolas superiores e que procura adequar os seus cursos às necessidades dos territórios em que são lecionados. Carlos Rabadão afirmou que estas residências contribuirão para o aumento da procura pelas ofertas formativas do Politécnico e que o próximo passo será fazer deste núcleo em Torres Vedras uma escola com cursos diferenciados, nomeadamente na área da saúde.

Cozinha de uma das residências

A presidente da Câmara Municipal avançou também que, a 150 metros das residências, será criado em Torres Vedras um espaço de estudo a estar aberto até às 24 horas durante toda a semana, equipado de todas as condições para o apoio ao estudo autónomo dos alunos que frequentem o ensino secundário e superior.

Na visita aos espaços dos núcleos A e B das residências, a arquiteta Madalena Pereira explicou a dimensão ambiental do projeto, que incluiu soluções construtivas de promoção da circularidade dos recursos e da adoção de medidas de eficiência energética, salvaguardando o valor histórico dos edifícios.

Estes e outros atributos do projeto de reabilitação foram reconhecidos nos Prémios Lusófonos de Arquitetura e Design de Interiores 2022/2023 com a menção prata.

As residências estudantis, localizadas na Rua Trás do Açougue e na Travessa Luís Cardoso, destinam-se a alunos bolseiros e deslocados (nacionais ou estrangeiros) e já estão a ser ocupadas. A intervenção representou um investimento de 393.928 €, financiado em 326.550 € pelo Plano de Recuperação e Resiliência, ao abrigo do Plano Nacional para o Alojamento no Ensino Superior.

      Fonte: ACM|CMTV

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.