Edição: 280

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/3/1

Investimento de 76 milhões de euros

Plano de Cogestão do PNSAC e das Pegadas dos Dinossáurios apresentado em Ourém

Apresentação do Plano de Cogestão do PNSAC e Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios de Ourém – Torres Novas

O Auditório do Edifício-sede do Município de Ourém acolheu esta quinta-feira, dia 4 de janeiro, uma sessão de apresentação da proposta de Plano de Cogestão do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios de Ourém – Torres Novas. O projeto inclui sete municípios, duas direções regionais de agricultura, 27 freguesias, quatro grupos de ação local e duas regiões do turismo e representa um investimento de 76 milhões de euros. Esta proposta encontra-se em Consulta Pública até ao dia 22 de janeiro e para analisar toda a documentação do Plano de Cogestão e dar os seus contributos, deverá consultar a informação disponível aqui.

O Plano de Cogestão do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios pretende ser um elemento estratégico de apoio à gestão desta área protegida para o período 2024-2027 e visa apoiar a criação de uma dinâmica partilhada de valorização da área protegida, tendo por base a sua sustentabilidade nas dimensões política, social, económica, ecológica, territorial e cultural.

Com uma estratégia alicerçada em três eixos – Promoção, Comunicação e Sensibilização, Valorização e Proteção do Património Natural – este ambicioso Plano de Cogestão pretende valorizar e promover o território, sensibilizar as populações locais e melhorar a comunicação com todos os interlocutores e utilizadores, integrando um vasto programa de medidas e ações para concretização da estratégia definida.

O Plano consubstancia um compromisso entre as várias entidades na sua execução e pressupõe uma gestão participativa, colaborativa e articulada, que imprima uma dinâmica partilhada de preservação e valorização da área protegida, o estabelecimento de procedimentos concertados entre o ICNF, os municípios e demais entidades públicas competentes, assim como uma relação de maior proximidade aos cidadãos e às entidades relevantes para a promoção do desenvolvimento sustentável da área protegida.

A sessão foi dirigida pelo presidente da Câmara Municipal de Ourém, Luís Miguel Albuquerque, acompanhado do vereador com o pelouro do Ambiente, Rui Vital, e dos técnicos Óscar Pires (ADSAICA) e Lia Mergulhão (ICNF). O presidente da Câmara sublinhou a “riqueza do território e as enormes potencialidades naturais e turísticas ainda por explorar”, enaltecendo a capacidade de coordenação que permitiu a definição de uma “estratégia conjunta entre as várias entidades envolvidas, para dinamização e valorização do Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros e do Monumento Natural das Pegadas dos Dinossáurios”.

Com uma plateia composta por vários presidentes de Junta de Freguesia do concelho, representantes associativos e outros, além do Executivo Municipal, foi possível realizar uma apresentação do Plano de Cogestão e esclarecer as dúvidas existentes, salientando a importância da participação no processo de Consulta Pública em curso, para obtenção de uma versão final deste Plano de Cogestão que seja rigorosa, integradora e abrangente.

Fonte: LC|GCI|CMO

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.