Edição: 280

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/3/1

Exame permite realizar ecografia através da árvore brônquica

Serviço de Pneumologia da ULS da Região de Leiria já realiza ecoendoscopia brônquica

Equipa de pneumologia

O Serviço de Pneumologia da Unidade Local de Saúde da Região de Leiria (ULS RL) iniciou no início de janeiro a realização de uma técnica minimamente invasiva que associa, num só procedimento, ecografia e broncoscopia: a ecoendoscopia brônquica, ou EBUS (Endobronchial Ultrasound). O novo broncoscópio representou um investimento de cerca de 160 mil euros.

Neste exame efetuado com anestesia geral ou sedação, o médico pneumologista introduz o fibroscópio (tubo flexível) pela boca ou pelo nariz do utente, equipado com uma sonda de ecografia, permitindo aceder com maior facilidade a lesões pouco visíveis em exames convencionais de broncoscopia, tendo como objetivo visualizar e puncionar (obter biópsias) massas pulmonares e mediastínicas, gânglios linfáticos, paredes das vias aéreas e outras estruturas.

A ecoendoscopia brônquica é utilizada para diagnosticar lesões pulmonares, despistar as suspeitas de doença maligna intra ou extratorácica e tumores de localização central, para fazer o estadiamento ou restadiamento de cancro do pulmão, e ainda o estudo de adenopatias hilares e mediastínicas, como a sarcoidose, a tuberculose ganglionar ou doenças linfoproliferativas.

«É um exame feito em regime de ambulatório, que pode ter a duração entre 20 a 60 minutos, e o utente tem alta médica após o recobro anestésico. Além de ser uma técnica minimamente invasiva, possui uma elevada segurança, já que a taxa de complicações é muito reduzida, possibilitando diagnósticos mais céleres e tratamentos mais atempados», esclarece Rebeca Natal, médica pneumologista da ULS RL.

«O acesso a esta técnica na Região de Leiria vem colmatar uma necessidade, até ao momento assegurada por instituições externas, cada vez mais requisitada pelo número crescente de casos de cancro do pulmão entre outras patologias do foro respiratório», acrescenta o médico pneumologista João Machado.

O diretor do Serviço de Pneumologia, Salvato Feijó, refere ainda que «este exame constitui mais uma ferramenta no arsenal de diferenciação técnica que a Unidade de Pneumologia de Intervenção da ULS RL tem procurado desenvolver nos últimos anos».

     Fonte: Midlandcom

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.