Edição: 280

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/3/1

Conferência visou uma troca de expectativas em torno da nova ULS RL

Politécnico de Leiria reuniu especialistas para debater o “Modelo ULS no centro da mudança do SNS”

Conferência decorreu na Escola Superior de Saúde do Politécnico de Leiria

“Modelo ULS no Centro da Mudança do SNS” foi o mote da conferência decorrida na Escola Superior de Saúde do Instituto Politécnico de Leiria (ESSLei), com o propósito de promover a troca de experiências e expectativas em torno da Unidade Local de Saúde da Região de Leiria (ULS RL), que integra o Centro Hospitalar de Leiria, o Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Litoral e os centros de saúde de Ourém, Fátima, Alcobaça e Nazaré.

A conferência, realizada no dia 13 de janeiro, destinou-se aos estudantes de 2.º ciclo, docentes e orientadores de estágio da ESSLei, tendo contado com as presenças de Fátima Fonseca, em representação da Direção Executiva do Serviço Nacional de Saúde (SNS), do presidente do conselho de administração da ULS RL, Licínio de Carvalho, da diretora clínica para os cuidados de saúde primários, Denise Velho, da diretora clínica para os cuidados de saúde hospitalares, Catarina Faria, e do enfermeiro diretor, Marco Neves.

No decorrer da conferência foram vários os compromissos assumidos pelos intervenientes, nomeadamente com a acessibilidade e a centralidade do cidadão, assim como um foco no equilíbrio do percurso assistencial do utente nesta nova modalidade organizativa, permitindo que este tenha uma plena integração de cuidados, independentemente das suas necessidades de saúde.

No debate foi ainda reforçada a motivação e confiança deste órgão para os desafios que, apesar de não serem novos, representam hoje uma expectativa diferente para o cidadão, que espera cuidados de qualidade cada vez mais centrados no ambulatório e no domicílio, e com uma cada vez maior comunicação entre as várias equipas, garantindo um apoio transdisciplinar aos desafios demográficos e sociais que hoje se impõem.

A preocupação com os profissionais de saúde, em tempos de incerteza, foi outro dos motes da discussão, sendo unânime a vontade de flexibilizar condições, criando bem-estar laboral, e de captar novos profissionais de saúde, como também reter aqueles que todos os dias contribuem para o sucesso das organizações.

“Acreditar neste novo modelo foi a tónica central da conferência à qual a academia também se associou, firmando a vontade de trabalhar em parceria, aliando a formação, a investigação e a inovação ao serviço do cidadão e da comunidade”, afirma Rui Fonseca-Pinto, diretor da ESSLei.

     Fonte: CA|On-It

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.