Edição: 280

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/3/1

TCP fortalece parcerias para valorizar os recursos da região

Turismo do Centro integra 11 redes colaborativas da Região Centro com candidaturas no âmbito do PROVERE

Direção e parceiros do Turismo Centro de Portugal

Vários consórcios da região apresentaram candidaturas a fundos comunitários no âmbito dos PROVERE – Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos do Centro 2030

A Turismo Centro de Portugal (TCP) integra 11 redes colaborativas da região Centro que submeteram candidaturas a fundos comunitários, no âmbito do PROVERE – Programa de Valorização Económica dos Recursos Endógenos do Centro 2030.

Estas redes colaborativas, compostas por parceiros de áreas diversas, têm como objetivo primordial valorizar os recursos e o potencial económico dos territórios rurais e de baixa densidade, impulsionando o desenvolvimento regional.

As cerimónias de assinatura de alguns dos contratos de consórcio ocorreram durante esta semana, contando com a presença de Anabela Freitas, vice-presidente da Turismo Centro de Portugal. As candidaturas serão agora submetidas à avaliação pelo Programa Regional do Centro.

A TCP foi convidada para integrar os consórcios das seguintes redes colaborativas: Aldeias de Montanha; Aldeias do Xisto; Aldeias Históricas de Portugal; Center-Geoparks; iNature – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas; Fileira dos Vinhos das Regiões Vitivinícolas da Região Centro; Náutica de Interior no Centro de Portugal; Portugal Romano; Queijos do Centro de Portugal; Rede de Quintas Ciência Viva da Região Centro; e Valorização dos Territórios Termais da Região Centro.

As redes Aldeias do Xisto, Aldeias Históricas de Portugal, iNature e Valorização dos Territórios Termais da Região Centro representam fases evolutivas de PROVERES anteriores.

Anabela Freitas destaca a importância destas parcerias. “Ao integrar estes consórcios, a Turismo Centro de Portugal reforça o seu compromisso com o desenvolvimento regional, posicionando-se como uma entidade impulsionadora de projetos inovadores que potenciam o património e a sustentabilidade na região Centro. Acreditamos que estas parcerias reúnem todas as condições para ser aprovadas e que fortalecerão ainda mais a coesão dentro dos territórios do Centro de Portugal”, considera.

Objetivos estratégicos das 11 candidaturas:

Aldeias de Montanha: Transformar as Aldeias de Montanha numa referência nacional na revitalização do espaço rural, destacando os recursos inimitáveis das serras da Estrela e Gardunha e das suas comunidades.

Aldeias Históricas de Portugal: Dar continuidade ao trabalho desenvolvido, tendo em vista a afirmação de uma rede de aldeias históricas, com património único preservado, eficientes e que contribuem para a agenda climática.

Aldeias do Xisto: Consolidar as Aldeias do Xisto como o principal ativo de desenvolvimento territorial supramunicipal do Pinhal Interior, liderando a nível regional e nacional a agenda das aldeias (natureza, comunidade, sustentabilidade e inovação).

Center-Geoparks: Promover e divulgar o património geológico e cultural dos quatro geoparques da região Centro (Estrela; Naturtejo; Oeste; e Serras de Aire e Candeeiros), como base para uma estratégia de desenvolvimento do território.

Fileira dos Vinhos das Regiões Vitivinícolas da Região Centro: Valorizar a fileira do vinho, de forma a estimular a atividade económica, a promover a atração de capital humano qualificado, a incrementar o enoturismo e a dinamizar e desenvolver os territórios.

iNature – Turismo Sustentável em Áreas Classificadas: Valorizar o património natural das áreas protegidas dos territórios de baixa densidade da região Centro, como aspeto central na construção uma oferta de excelência.

Náutica de Interior no Centro de Portugal: Posicionar a região como referência para o turismo náutico de águas interiores a nível nacional e internacional, potenciando a criação de oportunidades de negócio, emprego e valor acrescentado ao território.

Portugal Romano: Valorizar o património romano na região, promovendo uma abordagem integrada, inovadora e criativa, com vista à competitividade e atratividade dos territórios.

Queijos do Centro de Portugal: Valorizar economicamente os queijos qualificados da região, preservando os recursos naturais, os saberes tradicionais e os traços históricos característicos destes territórios e das comunidades que ao longo dos tempos os transformaram.

Rede de Quintas Ciência Viva da Região Centro: Desenvolver uma Rede de Quintas Ciência Viva, com o objetivo de promover a literacia agrícola e divulgar a inovação no mundo rural, através da valorização dos recursos locais e ecossistemas agroalimentares.

Valorização dos Territórios Termais da Região Centro: Afirmar o Centro como região líder na inovação e sustentabilidade do recurso água mineral natural, tendo em vista a competitividade da região, a fixação de população qualificada, a promoção de saúde e bem-estar e de estilos de vida saudáveis e equilibrados.

Sobre a Turismo Centro de Portugal

A Turismo Centro de Portugal é a entidade que estrutura e promove o turismo na Região Centro do país. Esta é a maior e mais diversificada área turística nacional, abrangendo 100 municípios, e tem registado um intenso crescimento da procura interna e externa. É a região a escolher para quem pretende experiências diversificadas, pois concilia locais Património da Humanidade com a melhor costa de surf da Europa, termas e spas idílicos, locais de culto de importância mundial e as mais belas aldeias.

     Fonte: TCP e AdC

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.