Edição: 281

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/4/20

Ao fim do primeiro ano, primeiro projeto do género no país já forneceu eletricidade suficiente para abastecer 11 mil casas

EDP inaugura novo projeto híbrido de energia solar e eólica em Portugal em Ansião e Penela

Parque eólico

A EDP, através da EDP Renováveis, colocou em operação o segundo parque híbrido de Portugal que combina energia eólica e solar no mesmo local, praticamente duplicando a capacidade de produção de eletricidade renovável numa única localização.

Junto ao Parque Eólico de São João, que está em operação desde 2008 e que tem 22,8 MW de capacidade, foi instalada a central solar fotovoltaica Monte de Vez, com 21 MWp e uma produção anual estimada de 31,4 GWh. Juntando as duas tecnologias, este complexo passa a poder produzir 79 GWh de energia renovável por ano, o que seria suficiente para fornecer 23 mil famílias da região por ano.

Com a implementação de 36 mil painéis bifaciais junto aos 13 aerogeradores do parque eólico, é possível aproveitar de forma mais eficiente a rede elétrica já existente e fornecer energia de forma mais constante, graças à complementaridade entre a produção de energia eólica e solar. Este complexo renovável vai também evitar a emissão de 40 mil toneladas de CO2 por ano, contribuindo para a descarbonização da região.

Localizados nos concelhos de Penela, distrito de Coimbra, e Ansião, distrito de Leiria, estes parques fazem parte de um investimento da EDP na zona centro do país, onde a empresa já tem em operação mais de 280 MW em energia eólica.

“É com orgulho que voltamos a ser pioneiros em Portugal e colocamos em operação o segundo parque híbrido do país, aproveitando o vento e sol da região para aumentar o consumo de energia renovável. Este projeto faz parte da estratégia da EDP de continuar a acelerar a transição energética nacional, seja ao investir em novos projetos renováveis ou a otimizar aqueles que já têm servido as regiões onde se encontram. Vamos continuar a desenvolver projetos híbridos em Portugal e esperamos implementar mais 700 MW em projetos semelhantes, nos próximos anos”, destaca Hugo Costa, responsável da EDP Renováveis em Portugal.

A hibridização de ativos existentes, através da conjugação de tecnologias como a eólica, a solar e a hídrica, é uma das principais vias de crescimento das energias renováveis, com vários benefícios para o setor: aumento da eficiência dos projetos, utilização e partilha de infraestruturas elétricas já existentes, promoção da estabilidade de custos e redução do impacto ambiental e paisagístico.

Em janeiro de 2023, a EDP já tinha colocado em operação o primeiro híbrido eólico/solar da Península Ibérica, ao adicionar a Central Fotovoltaica de Mina de Orgueirel ao Parque Eólico do Mosteiro, no concelho da Guarda. Este projeto produziu 37,4 GWh no seu primeiro ano de operação, eletricidade que seria suficiente para abastecer 11 mil habitações. Durante este primeiro ano foi também evitada a emissão de 19 mil toneladas de CO2 para a atmosfera .

Além dos híbridos em funcionamento em Portugal, a empresa foi também pioneira ao instalar o primeiro projeto híbrido de Espanha e da Polónia. A EDP tem neste momento em estudo ou desenvolvimento mais de 1600 MW em projetos híbridos em Portugal e Espanha, com diferentes fases de maturidade e com previsão de entrada em operação ao longo dos próximos anos. A empresa pretende continuar a apostar em projetos semelhantes em todas as suas geografias.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.