Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

biclis são gratuitas, sendo apenas necessário pagar uma caução de 100 euros

Município de Leiria lança rede de bicicletas públicas partilhadas

Apresentação da biclis

biclis é o nome da bicicleta do sistema público de partilha que o Município de Leiria apresentou esta quinta-feira, 4 de abril, um serviço que pretende contribuir para a melhoria do ambiente, para a criação de hábitos de mobilidade e para a promoção da atividade física.

Para o presidente da Câmara Municipal, Gonçalo Lopes, “é um projeto que tem uma importância simbólica para aquilo que é o nosso conceito de mobilidade futura, que queremos implementar no nosso concelho, visando dar um modo de estar às pessoas, que vão ter a oportunidade de substituir outros meios de transporte por um sistema ecologicamente mais sustentável e mais saudável”.

O autarca afirmou ainda que “este é um projeto que se insere numa estratégia de mobilidade ampla, que temos vindo a planear ao longo dos últimos dois anos, e os meses de abril e de maio vão ser importantes no trabalho que temos feito na área”, referindo-se à aprovação do projeto de execução do novo terminal rodoviário, ao lançamento do concurso para a rede Mobilis e ao sistema de painéis informativos relativos aos parques de estacionamento e aos transportes públicos (Leiria Smart City).

Segundo explicou o vereador da Mobilidade, Luís Lopes, “a biclis permite usufruir da cidade de forma diferente, podendo, ainda assim, ir para o trabalho, ir às compras, ir ler um livro, de forma bastante mais confortável do que com uma bicicleta normal”.

“Este não é um sistema que se pretenda que seja de usar 20 minutos e colocá-la [a biclis] numa estação. Pretende fidelizar os utilizadores, que as pessoas entendam e que mudem efetivamente os seus hábitos de mobilidade”, continuou Luís Lopes.

A partir de hoje, os residentes no concelho e os estudantes do Politécnico de Leiria têm 150 bicicletas elétricas à disposição, podendo também os jovens entre os 16 e os 18 anos candidatar-se a ser um biclista, através de inscrição feita no site biclis.cm-leiria.pt, que será analisada, por ordem de entrada, em 30 dias pelo Município.

A adesão e a utilização da biclis são gratuitas, sendo apenas necessário o pagamento de uma caução de 100 euros, e o biclista pode usufruir da sua bicicleta por três ou seis meses, renováveis após avaliação e desde que a bicicleta tenha utilização.

A biclis tem uma autonomia para 40 quilómetros e pode ser carregada numa das 19 estações espalhadas pela cidade, num total de 180 docas, ou mesmo em casa, a partir do carregador doméstico que é entregue ao utilizador, juntamente com uma mochila, um capacete, um colete, uma chave de desbloqueio das docas, um Manual do biclista, um kit de ferramentas e um carregador doméstico.

Tanto no site como na aplicação criada para o efeito, plataformas nas quais terá de ser criada uma conta pessoal, o utilizador terá acesso a um conjunto de informações, nomeadamente as estações e docas disponíveis, a dados relativos às deslocações feitas e poder apresentar avarias, sugestões e reclamações.

O valor do investimento neste projeto foi superior a 710 mil euros, financiados por fundos comunitários, e as primeiras biclis deverão ser entregues em maio.

      Fonte: DCRP|CML

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.