Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

Repetindo a ação do Governo de Durão Barroso em 2004

Óbidos acolheu o primeiro Conselho de Ministros do XXIV Governo Constitucional

Reunião do Conselho de Ministros

Óbidos foi o local escolhido para acolher o primeiro Conselho de Ministros informal do XXIV Governo Constitucional. A reunião decorreu este sábado, 6 de abril, no Salão Nobre da Câmara Municipal de Óbidos, com a participação de todos os membros do novo Governo – primeiro-ministro, 17 ministros e 41 secretários de Estado.

“Os senhores secretários de Estado e as senhoras secretárias de Estado só tomaram posse ontem [05 de abril]”, pelo que esta “é uma primeira oportunidade de estarmos todos reunidos, e de podermos tratar do nosso programa de Governo para apresentar à Assembleia da República”, afirmou o primeiro-ministro, Luís Montenegro.

Na intervenção que dirigiu ao novo elenco governativo, Filipe Daniel, presidente da Câmara Municipal de Óbidos, começou por manifestar o seu apreço e a honra pela escolha de Óbidos para receber esta sessão. De facto, “a beleza e a história de Óbidos envolvem-nos numa atmosfera única, propícia para reflexões importantes sobre o futuro da nossa Nação”, apontou. Mas “ao mesmo tempo em que nos encontramos num ambiente de inspiração e cultura, somos chamados a abordar os desafios prementes que a nossa sociedade enfrenta”, salientou o autarca.

“Este é um momento crítico na nossa trajetória política, onde as decisões que tomamos moldarão o destino dos nossos cidadãos e o rumo do nosso país. Em tempos como estes, é vital que estejamos conectados com as realidades locais, entendendo as necessidades e aspirações das diversas comunidades que compõem o nosso território”, e que “estejamos atentos às necessidades identificadas aqui em Óbidos, bem como em todo o país”.

Luís Montenegro acompanhado por Filipe Daniel em Óbidos

Neste contexto, Filipe Daniel aproveitou a ocasião para reivindicar a atenção do novo Governo para um conjunto de necessidades sentidas no concelho – mas também na região – designadamente nas áreas da Saúde, com destaque para a falta de médicos e para a necessidade de construção do futuro Hospital do Oeste, da Agricultura, do Turismo e da Administração Pública.

O presidente da Câmara Municipal de Óbidos terminou o seu discurso, apelando a que momentos como os de hoje possam ser aproveitados “não apenas para discutir políticas, mas também para inspirar mudanças reais e significativas que beneficiem não apenas Óbidos, mas toda a Nação”.

O Conselho de Ministros informal fica, simbolicamente, perpetuado através de uma placa, colocada no Salão Nobre da Câmara Municipal de Óbidos, e descerrada pelo chefe de Governo e pelo presidente da autarquia obidense.

A passagem dos 59 novos governantes por Óbidos terminou com uma fotografia de grupo, na Praça de Santa Maria.

Refira-se que esta é já a segunda vez que Óbidos recebe um Conselho de Ministros. A primeira foi em janeiro de 2004, com o então primeiro-ministro Durão Barroso.

Conversações com movimento cívico de agricultores

A chegada da comitiva era aguardada por um grupo de representantes de vários movimentos cívicos do país de agricultores, que recebeu, por parte do primeiro-ministro, Luís Montenegro, do secretário de Estado da Agricultura, João Moura, e do presidente da Câmara Municipal de Óbidos, abertura para conversações.

Em causa estão reivindicações ligadas aos custos de produção, relação laboral com os trabalhadores, e ao combate (com maior eficácia) às alterações climáticas.

   Fonte: GCD|CMO

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.