Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

Com 600 compostores domésticos e implantação de 8 compostores comunitários

Projeto GIRObio dá início à valorização de biorresíduos em Santarém

Ação de capacitação Mestres BIOGiros

O Município de Santarém vai dar início à valorização de biorresíduos, através do Projeto GIRObio, com a implementação de Compostagem Doméstica e Comunitária no concelho, através da distribuição de 600 compostores domésticos e a implantação de oito compostores comunitários.

O primeiro passo foi dado no dia 17 de abril com a ação de capacitação Mestres BIOGiros realizada no Salão Nobre do Paços do Concelho, envolvendo autarcas e trabalhadores do Município e das Juntas de Freguesia.

Nuno Russo e Alfredo Amante, vereadores da Câmara Municipal de Santarém (CMS), agradeceram a todas as Juntas de Freguesia que manifestaram interesse em participar ativamente no projeto.

“O Projeto GIRObio é um projeto de gestão inovadora de resíduos com uma forte componente de envolvimento da comunidade, fomentado a mudança de hábitos e comportamentos no âmbito da gestão de resíduos, nomeadamente, na gestão dos biorresíduos” referiu Alfredo Amante.

Nuno Russo destacou que “com este projeto, o Municipio pretende promover uma cidadania ativa em matéria de Proteção do Ambiente, fomentando práticas ambientais mais sustentáveis. Ao assegurarmos a valorização dos biorresíduos na origem começamos a dar passos no cumprimento dos novos desafios definidos no Regime Geral de Gestão de Resíduos e no Plano Estratégico de Gestão de resíduos PERSU2030 que obrigam à valorização de biorresíduos a partir de 2024”.

A adesão ao projeto GIRObio é gratuita, e deve ser formalizada no site do projeto (https://girobio.santarem.pt), onde os munícipes podem optar por aderir à Compostagem Doméstica ou Comunitária. Após validação da candidatura, devem obrigatoriamente frequentar uma ação de sensibilização sobre compostagem.

Os munícipes que dispõem de uma moradia no concelho de Santarém, com jardim, horta ou logradouro, podem aderir à compostagem doméstica e receber um compostor de quatrocentos litros (400 l). Por sua vez, os munícipes que não tenham espaço para acolher um compostor doméstico, podem aderir à Compostagem Comunitária e escolher entre os oitos equipamentos disponíveis de uso comum, onde pretendem efetuar a deposição dos seus resíduos orgânicos. Os munícipes aderentes à compostagem comunitária, além de receberem o acesso ao compostor, recebem também um mini-contentor de sete litros (7 l) para deposição de biorresíduos domésticos.

Para a operacionalização do projeto, o Município garante a capacitação de Mestres BioGiros, de forma a garantir a manutenção, acompanhamento especializado e monitorização do processo de compostagem comunitária. Na cidade de Santarém, a monitorização dos quatro compostores comunitários implantados vai ser assegurada pela equipa de Mestres BioGiros da Divisão de Ambiente e Sustentabilidade do Município. Nas freguesias rurais aderentes (Arneiro das Milhariças, Moçarria, Pernes e Póvoa da Isenta), a monitorização é da responsabilidade dos Mestres BioGiros da respetiva Junta de Freguesia.

De salientar que os munícipes que aderirem ao projeto GIRObio, além de darem um destino adequado aos seus resíduos orgânicos, geralmente provenientes da preparação de refeições, podem contribuir para a redução da quantidade de resíduos encaminhada para aterro sanitário e, produzir um composto de excelente qualidade para o seu jardim ou para aplicar em vasos com plantas.

De referir, que o Município obteve financiamento no valor de cento e quarenta e cinco mil e trezentos e setenta e três euros e setenta cêntimos (145.373,70 €), com a candidatura do Projeto GIRObio ao Programa “RecolhaBio – Apoio à implementação de projetos de recolha seletiva de biorresíduos” do Fundo Ambiental em colaboração com a CIMLT.

     Fonte: IV|GRPC|CMS

 

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.