Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

50 anos do 25 de abril

Município do Bombarral prestou homenagem aos presos políticos bombarralenses

Sessão de homenagem aos antigos presos políticos

No 50.º aniversário do 25 de abril, o Município do Bombarral prestou homenagem os Presos Políticos Bombarralenses com a inauguração de um memorial. Instalado no Largo 25 de abril, no centro da Vila, conta com o nome de todos os bombarralenses que, durante a ditadura, foram privados da Liberdade.

Adelino Marques Ferreira, antigo Preso Político, marcou presença no ato inaugural. Esteve preso durante 540 dias, por oposição ao regime, tendo cumprido pena de prisão no Estabelecimento Prisional de Caxias.

Para o edil bombarralense, Ricardo Fernandes, este memorial pretende perpetuar no tempo a memória e coragem destes 28 bombarralenses.

A Revolução de Abril foi também assinalada pelo Município com a Sessão Solene da Assembleia Municipal, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, e com o Hastear das Bandeiras no edifício da Câmara Municipal e na sede da União de Freguesias de Bombarral e Vale Covo.

Para além das intervenções dos partidos representados na Assembleia Municipal, a sessão comemorativa contou também com a atuação do Coro Vox Feminis do Círculo de Cultura Musical Bombarralense e com um momento de poesia protagonizado pelos alunos do Agrupamento de Escolas Fernão do Pó (AEFP), Maria Rita Silva e Simão Costa. A Presidente da Associação de Estudantes do AEFP, Matilde Nunes, foi desafiada a participar na sessão, com uma intervenção que versou sobre o que representa o 25 de abril e qual o simbolismo que esta comemoração tem para os jovens nos dias de hoje.

Programa diversificado

No âmbito destas comemorações, o Município promoveu duas tertúlias. A primeira subordinada à temática “Mulheres e o 25 de abril”, que juntou Isabel do Carmo e Carolina Perdigão.

Os direitos das mulheres, os condicionalismos à sua liberdade e as principais mudanças após a revolução foram alguns dos temas abordados pelas oradoras, dois exemplos de participação cívica ativa na sociedade.

A tertúlia, moderada por Susana Manco, contou com a presença de cerca de 80 pessoas e terminou com um momento de música de intervenção, protagonizado por Emanuel Casimiro, onde foram entoadas algumas das músicas que marcaram o período revolucionário.

O movimento estudantil no período do 25 de abril foi o mote da segunda tertúlia, que decorreu no Agrupamento de Escolas Fernão do Pó. A tertúlia pretendeu mostrar aos jovens alunos a importância dos estudantes na resistência ao Estado Novo.

A sessão, moderada por José Pires, contou com a participação de Henrique Garcia Pereira, de Vítor Lamberto e Luís Camilo Duarte que, nas suas intervenções, partilharam as suas experiências e vivências do período revolucionário.

Fonte: RC|GAPOM|CMB

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.