Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

Investimento de cerca de 500 mil euros

Museu das Máquinas Falantes inaugurado em Alcobaça mostra um século da evolução da rádio

Intervenção de Hermínio Rodrigues

O Museu das Máquinas Falantes de Alcobaça foi inaugurado na tarde do dia 25 de Abril, com a presença do secretário de Estado do Planeamento e Desenvolvimento Regional, Hélder Reis, natural da Maiorga, e da vice-presidente da Turismo do Centro, Anabela Freitas. Este novo museu representa um reforço importante da excelente rede museológica municipal e da sua projeção nacional.

O Museu das Máquinas Falantes tem como aspiração marcar o panorama dos museus da tecnologia do som, das telecomunicações e da rádio difusão.

Com esta nova infraestrutura museológica, o Município de Alcobaça cumpre o objetivo de dar a conhecer um património único que nasceu do empreendimento emérito do seu colecionador-fundador: José Madeira Neves (1933-2003). De referir que o Museu conta ainda com doações das duas rádios locais do concelho de Alcobaça, a Rádio Cister e a Benedita FM.

“Estou certo que este Museu será uma referência a nível nacional, pois estamos a proteger um legado que preserva uma história de mais de um século de inovação tecnológica na área do som e da telecomunicação. Tendo em conta a importância fulcral que a rádio teve no desencadear da Revolução do 25 de Abril, não haverá melhor momento para inaugurar o Museu das Máquinas Falantes do que este dia. A partir deste momento este Museu, este legado e esta história são vossos. São de todos nós”, afirmou Hermínio Rodrigues.

Alberto Guerreiro apresentou a rica coleção de José Madeira Neves

A vice-presidente da Turismo do Centro, Anabela Freitas, felicitou Alcobaça pelos “excelentes resultados obtidos em 2023 em matéria de dormidas no concelho que superaram os números de 2019, considerado o melhor ano de sempre do turismo em Portugal. Estes números terão seguramente continuidade este ano, pois apenas nos primeiros dois meses, os números já superam o período homólogo de 2019.”

Para o secretário de Estado do Planeamento e Desenvolvimento Regional, “a expressão máxima dos valores do 25 de abril é o poder local. Os autarcas são a face visível da nossa democracia e são eles que têm a missão de desenvolver os territórios, gerindo recursos, que são escassos, mas que podem ser maximizados com vontade e ambição. Este museu reflete precisamente a visão que o poder local e os seus responsáveis têm para a dinamização turística da cidade de Alcobaça.”

O investimento total ascende a cerca de 500 mil euros, incluindo a compra do edifício situado no centro histórico da cidade. As entradas no Museu das Máquinas Falantes são gratuitas, pelo menos numa primeira fase.

Comemorações do 25 de Abril terminaram com a sessão solene da Assembleia Municipal e o espetáculo de marionetas “Lúmen – Uma História de Amor”

Exterior do Museu das Máquinas Falantes

As cerimónias oficiais terminaram no Cine-Teatro de Alcobaça João D’Oliva Monteiro com a sessão solene da Assembleia Municipal seguida de sessão de esclarecimento com o ex-ministro da justiça, Laborinho Lúcio, e 4 jovens deputados do projeto Parlamento Jovem, que representam os Agrupamentos de Escolas de Cister, São Martinho do Porto, Externato Cooperativo da Benedita e EPADRC.

Para a noite estava guardado o grandioso espetáculo de marionetas gigantes e iluminadas “Lúmen – Uma História de Amor” (pela multipremiada companhia alcobacense S.A. Marionetas) que encheu a praça 25 de Abril, em frente ao Mosteiro de Alcobaça, com cerca de 10 mil espetadores. Um momento alto que contou com a participação de vários voluntários, da vocalista da banda alcobacenses The Gift, Sónia Tavares, da Sociedade Filarmónica Vestiariense “Monsenhor José Cacella”, entre outros colaboradores.

“Foi uma demonstração de total união das nossas gentes e do seu respeito pelos valores de abril. Uma palavra de profundo agradecimento a todas as escolas, pais, alunos, professores, auxiliares e diretores escolares, a todos os colaboradores do município e a toda a população pelo seu total empenho e envolvimento nestas comemorações dos 50 anos do 25 de Abril que certamente honraram todos que deram a vida para que hoje possamos viver em liberdade. Uma palavra também de agradecimento à S.A. Marionetas por nos terem contemplado com mais um momento verdadeiramente mágico no Rossio que ficará na memória de todos nós”, sublinha Hermínio Rodrigues.

    Fonte: GCRP|CMA

 

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.