Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

Conjunto de documentos foi produzidos ao longo de 135 anos de atividade

Vidrala doa documentos históricos da fábrica Santos Barosa ao município da Marinha Grande

Assinatura do contrato de doação patrimonial

A Vidrala formalizou o contrato com a Câmara Municipal da Marinha Grande para a doação do património documental da Fábrica Santos Barosa – Vidros S.A. (SB), no dia 8 de maio, nas instalações da empresa. O contrato foi assinado pelo presidente da Câmara Municipal, Aurélio Ferreira, e pelo presidente da Vidrala, Carlos Delclaux, na presença da vereadora Ana Alves Monteiro e do diretor da fábrica, Vítor Martins.

A Vidrala contribui, assim, para garantir o acesso à cultura e à história da Marinha Grande, graças ao seu compromisso com a sociedade no âmbito da sua estratégia 4Ps (Populações, Pessoas, Planeta, Prosperidade). Neste sentido, o presidente do Grupo Vidrala, Carlos Delclaux, congratulou-se com a assinatura destes acordos, reconhecendo a importância da salvaguarda deste património para perpetuar a história da fábrica e a memória coletiva da Marinha Grande, e agradeceu à autarquia a dedicação e interesse na conservação, tratamento e estudo dos documentos.

O presidente da Câmara sublinhou que “a Marinha Grande será, porventura, uma das zonas mais ricas para o estudo dos arquivos empresariais. A aposta do município na valorização e preservação do seu património industrial é particularmente relevante quando as empresas, com anos de documentação, confiam esse património nas mãos da autarquia”.

Aurélio Ferreira acrescentou que “é uma honra receber este testemunho da história da Marinha Grande, que é provavelmente a maior fonte documental para o estudo da indústria vidreira em Portugal, para ser utilizado por investigadores e especialistas na matéria”.

Durante a cerimónia de assinatura, a vereadora Ana Alves Monteiro apresentou alguma da documentação, de inestimável valor histórico e cultural. Entre eles, o Livro de Cópias, que inclui o registo da correspondência efectuada por José dos Santos Barosa antes da criação da empresa, entre 10 de outubro de 1887 e 16 de outubro de 1892. Contém o registo da conta corrente, “débito” e “crédito” de Jacintho dos Santos Barosa e José dos Santos Barosa (pagamento de giz, escrituras, compra de terrenos, madeira, cal, vinho…). O Livro de Actas da empresa Santos Barosa e Companhia Lda (1916), o Livro de Registo dos forneiros para anotação de todos os acontecimentos ocorridos na fábrica (1961), o Inventário dos Bens da Companhia Industrial Santos Barosa & Companhia (1891) foram outros documentos que foram mostrados na cerimónia.

Após a assinatura do acordo, o diretor da fábrica SB, Vítor Martins, explicou que “o conjunto de documentos produzidos ao longo de 135 anos de atividade permite-nos conhecer não só o desenvolvimento da sua atividade industrial, mas também as suas práticas. A salvaguarda desta documentação enriquece a história industrial do concelho e revela as realidades sociais e económicas de tempos passados, preservando a sua memória para as gerações futuras”.

O património documental doado pela Vidrala inclui correspondência expedida e recebida, documentação relativa à gestão administrativa, contabilística e financeira, documentos de controlo de produção e vendas, registo de acontecimentos diários da fábrica, escrituras, livro de registo de acções da empresa e livros de registo de recursos humanos (mais de 500 livros e maços de documentação)”.

A sessão terminou com uma oferta simbólica a Carlos Delclaux, contendo uma digitalização do documento original, a ata da reunião da sociedade Santos Barosa e Companhia Lda, realizada em Lisboa, a 31 de março de 1916, “no gabinete do Exmo. Sr. Dr. Afonso Xavier Lopes Vieira, em Lisboa”. O documento regista o alargamento e expansão da empresa com a constituição de uma nova sociedade.

     Fonte: GCI|CMMG

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.