Edição: 282

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/5/24

Por proposta da Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria

CIMRL exige investimentos na mobilidade na Região Centro após a decisão sobre o aeroporto

Avião da TAP

A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria (CIMRL) defende que a decisão tomada pelo Governo em localizar o novo aeroporto internacional de Lisboa na margem sul do tejo, em Alcochete, bem como a definição como prioridade da futura Linha de Alta Velocidade (LAV), a ligação Lisboa – Madrid, são opções que devem ser acompanhadas com projetos de reforço da mobilidade da região Centro do País às novas infraestruturas, designadamente através da antecipação da 2ª fase do TGV Lisboa-Porto, do troço de ligação entre Soure, Leiria e Carregado (Lisboa), apenas projetada para iniciar os trabalhos depois de 2030.

Assumindo o Governo que o novo Aeroporto “Luís de Camões”, localizado no Campo de Tiro de Alcochete, entrará em pleno funcionamento em 2031-2034, deve na mesma data estar concluída a 2ª fase projetada para o TGV, bem assim a respetiva ligação à linha de Alta Velocidade Lisboa-Madrid.

Recorde-se que a designada Fase 2 do TGV, entre Soure, Leiria e o Carregado, tem um investimento estimado de apenas 1900 milhões de Euros, menos de 15% do valor estimado para os novos projetos agora apresentados pelo atual Governo, que incluem além das infraestruturas aeroportuárias a conclusão da linha de Alta Velocidade entre Lisboa e Madrid, incluindo a Terceira Travessia sobre o Tejo (TTT), o que representa um investimento global estimado superior a 12,6 mil milhões de euros.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria vai promover uma reunião das CIM da Região Centro com o novo Governo, no sentido de avaliar os impactos desta decisão para a coesão territorial e ao nível dos fluxos de desenvolvimento económico, porquanto a nova localização aeroportuária na margem sul do Tejo e respetiva desativação total aeroporto internacional da Portela (Humberto Delgado), terão fortes consequências nas dinâmicas populacionais, turísticas e ao nível das empresas e emprego, o que exige uma urgente resposta da antecipação deste novo contexto e respetivos desequilíbrios regionais.

Note-se que as comunidades intermunicipais das regiões de Leiria, de Coimbra, da Beira Baixa, Beiras e Serra da Estrela e do Médio Tejo assumiram em junho do ano passado uma posição pública conjunta na defesa da escolha da localização do futuro aeroporto em Santarém, considerando esta a opção ideal e que melhor servia o objetivo da coesão e a maioria da população portuguesa que reside a norte do Tejo.

A Comunidade Intermunicipal da Região de Leiria integra os municípios de Alvaiázere, Ansião, Batalha, Castanheira de Pera, Figueiró dos Vinhos, Leiria, Marinha Grande, Pedrógão Grande, Pombal e Porto de Mós, sendo uma região com elevado potencial económico e exportador.

     Fonte: CIMRL

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.