Edição: 283

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/6/14

Artista de Pombal conquistou o 10º lugar no Festival da Eurovisão

Iolanda lança novo single "Calma" e esgota dois espetáculos no Capitólio

Iolanda

Foi com dois concertos esgotados que iolanda fez a sua grande estreia em nome próprio no Capitólio em Lisboa. A cantora de Pombal subiu a palco esta quarta e quinta-feira para apresentar o EP de estreia “Cura” e ainda algumas das novas canções, entre elas o single “Calma” que chega no dia 24 de maio a todas as plataformas digitais e que já tem videoclipe oficial no youtube, gravado em Malmo, durante a participação da artista na 68.ª edição do festival da Eurovisão.

“Calma” é o primeiro tema de avanço do novo EP de iolanda, que será editado em breve. A artista surpreendeu o público nos dois espetáculos no Capitólio, que tiveram lugar esta quarta e quinta-feira (22 e 23 de maio), com um alinhamento que para além de celebrar as canções já editadas como prometido, contou ainda com a revelação de várias novas faixas, entre elas, o novo single que chegou esta sexta-feira a todos os fãs.

O videoclipe, já disponível no YouTube oficial da artista, foi gravado em Malmö, na Suécia, e conta com a participação de alguns dos artistas presentes, entre eles o suíço Nemo, vencedor desta edição da Eurovisão, o inglês Olly Alexander, a artista grega Marina Satti, a dupla finlandesa Windows95man e Henry, a eslovaca Raiven, Bambie Thug, da Irlanda, a artista de malta, Sarah Bonnici, e ainda Ladinava, da Arménia.

O novo single de iolanda marca o início de uma nova era. “CALMA” fala de uma miúda com um sonho. De fazer música, de ser cantora e de espalhar uma mensagem de amor pelo que se quer conquistar. Fala da vontade de lutar para chegar onde se quer, mesmo com todas as adversidades e todos os “nãos”. Numa perspetiva mais direta, aborda temas como o ter de trabalhar em várias áreas para conseguir juntar dinheiro para fazer músicas e a necessidade de viver o seu sonho a 100%, com um único objetivo, o de construir uma carreira sólida como cantora num país ainda dominado por homens.

Espetáculo de iolanda no Capitólio

Com duas noites esgotadas no Capitólio, em Lisboa, iolanda celebrou precisamente esta nova fase: a certeza de que veio para ficar. A artista teve a seu lado a sua banda composta pelos músicos Gui Salgueiro, Luar e Guss, e contou ainda em palco com vários convidados especiais. Rita Onofre e ÏNIA, fizeram trio de vozes num impressionante momento acústico do tema “Grito”, Matheus Paraízo e Soluna foram protagonistas nas canções editadas em conjunto, Cláudia Pascoal subiu a palco dia 22 para um momento certamente inesperado e Milhanas surpreendeu no concerto de dia 23.

Como não podia deixar de ser, iolanda despediu-se dos fãs com a interpretação da versão original da Eurovisão, lado a lado com os cinco bailarinos com quem partilhou esta experiência.

Foi em 2023 que editou o EP de estreia, um dos discos do ano para o Expresso/Blitz, calorosamente recebido pelo público e pela crítica, que desde logo a apontou como uma provável próxima grande diva da música portuguesa. Desde então iolanda não tem parado tendo já atuado em alguns dos mais importantes palcos nacionais, entre eles NOS Alive, Vodafone Paredes de Coura, Sónar e Festival F. Mais recentemente foi a grande vencedora do Festival da Canção e viajou até à Suécia para representar Portugal na Eurovisão, onde conquistou o 10.º lugar. A 01 de outubro atua pela primeira vez em nome próprio no Porto, com um espetáculo já anunciado na Casa da Música.

Em iolanda ouve-se algo raro e não é só pela sua voz poderosa. Tem na escrita uma capacidade impressionante de fazer sentir, cantada numa pop honesta, mas arrojada, envolta numa eletrónica que flutua entre batidas e quebras de ritmo, provocando os limites da contemporaneidade. É há muito compositora, tendo já colaborado na escrita com artistas nacionais como Bárbara Tinoco, Bárbara Bandeira, entre outros.

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.