Edição: 284

Diretor: Mário Lopes

Data: 2024/7/20

Setor procura melhorar práticas ambientais com novas soluções

Município de Alcobaça promove produção de biometano no setor da suinicultura

Sessão de apresentação de um conjunto de soluções para a gestão de efluentes suinícolas para produção de biometano

A Câmara Municipal de Alcobaça realizou no dia 20 de junho uma sessão de apresentação de um conjunto de soluções para a gestão de efluentes suinícolas para produção de biometano. A sessão foi conduzida pela empresa espanhola Genia Bioenergy, presente em 11 países entre os quais o nacional, e contou com a adesão de vários produtores suinícolas do concelho de Alcobaça.

“A expressiva adesão a esta apresentação é um claro sinal de que o setor quer resolver um problema cuja solução tem vindo a ser adiada há demasiado tempo. Através desta apresentação, a Câmara Municipal está a promover as boas práticas ambientais e o conceito de economia circular junto dos produtores suinícolas do concelho. A introdução de processos de economia circular neste setor essencial da nossa economia deve ser entendida como um fator de valorização e de criação de riqueza, afirmou o Presidente da Câmara Municipal de Alcobaça.

“Uma economia local capaz de uma gestão eficaz dos seus resíduos é uma economia com valor acrescentado o que lhe dá maior visibilidade perante os mercados. A Câmara Municipal pretende envolver todos os produtores suinícolas nesta missão de valorização do nosso território e da nossa economia. Cada produtor deve refletir se realmente consegue individualmente resolver este problema”, sublinhou Hermínio Rodrigues, durante a apresenação.

Para o presidente da FPAS – Federação Portuguesa de Associações de Suinicultores, David Neves, “a legislação olha para o efluente suinícola como um resíduo mas ele deve ser encarado como um recurso. Não há nenhuma exploração em Portugal que tenha capacidade de criar um sistema individual de tratamento de efluentes. Tem de ser criado um regime de parceria.”

Em representação da Genya Bionergy, Mário Martins, frisou que “o foco da empresa é a produção de biometano, o gás do futuro. O gás natural tem origem fóssil enquanto que o biometano tem origem orgânica. O setor primário, no qual se inclui a suinicultura, é muitas vezes crucificado na praça pública pela questão ambiental, mas este setor pode e deve dar um sinal de vanguarda na descarbonização.”

    Fonte: GCRP|CMA

Comentários:

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Ainda não há comentários nenhuns.