Edição: 245

Diretor: Mário Lopes

Data: 2021/4/23

Governo classificou oficialmente o monumento cisterciense de Alcobaça

Mosteiro de Santa Maria de Coz classificado como Monumento Nacional

A Igreja de Santa Maria de Coz juntamente com o seu antigo dormitório e restantes dependências do Mosteiro foram decretadas oficialmente como Monumento Nacional, após decisão tomada em Conselho de Ministros realizado dia 22 de abril. O Mosteiro de Coz integra um lote de cinco imóveis até ao momento considerados de “Interesse Nacional”, tendo agora lhes sido atribuída a designação de “Monumento Nacional” considerando, designadamente, “o interesse dos bens enquanto testemunhos notáveis de vivências ou factos históricos”.

Em associação com a DGPC e ICOMOS Portugal

Município de Alcobaça celebra Dia Internacional dos Monumentos e Sítios nos dias 17 e 18 de abril

O Município de Alcobaça, associa-se à Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) e ao ICOMOS Portugal, na comemoração do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios, com eventos nos dias 17 e 18 de abril, no Mosteiro de Cós, Museu do Vinho de Alcobaça, Central da Confluência dos Rios e Museu Raul da Bernarda.

Torres Novas

Museu Municipal Carlos Reis reúne investigadores em debate online do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios 2021

O Museu Municipal Carlos Reis (MMCR) vai assinalar o Dia Internacional dos Monumentos e Sítios com um debate online, no dia 19 de abril, onde será abordado o tema “Passado complexos: futuros diversos”, tópico proposto pelo ICOMOS (Conselho Internacional dos Monumentos e Sítios) para as comemorações de 2021. A iniciativa tem início às 15h, a partir da página de Facebook do MMCR e irá juntar numa mesa-redonda online três investigadores das áreas de arqueologia, história e património: João Zilhão, Marco Liberato e Carlos Fabião.

Assinalando o 100.º aniversário da Fundação da Liga dos Combatentes e os 103 anos da Batalha de La Lys

Presidente da República inaugura Memorial aos Antigos Combatentes Batalhenses

O Presidente da República, presidiu esta sexta-feira, dia 9 de abril, às Cerimónias Comemorativas do 100.º aniversário da Fundação da Liga dos Combatentes, do 103.º aniversário da Batalha de La Lys e do Dia do Combatente na Batalha, realizadas no Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha. Marcelo Rebelo de Sousa presidiu também à cerimónia de inauguração do Memorial ao Combatente da Batalha, instalado no Jardim do Condestável, junto ao Mosteiro da Batalha.

Assinalando o Dia do Combatente e os 103 anos da Batalha de La Lys

Presidente da República celebra 100 anos da Liga dos Combatentes na Batalha

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, presidente às Cerimónias Comemorativas do 100.º aniversário da Fundação da Liga dos Combatentes, do 103.º aniversário da Batalha de La Lys e do Dia do Combatente na Batalha, esta sexta-feira, dia 9 de abril, no Mosteiro de Santa Maria da Vitória, na Batalha. Do Programa, consta a concelebração eucarística, pelos combatentes falecidos, Cerimónia Militar evocativa, deposição de coroa de flores no Túmulo do Soldado Desconhecido na Sala do Capítulo e Cerimónia de Inauguração do Memorial aos Combatentes Batalhenses.

Nos dias 9, 10 e 11 de abril

Município de Azambuja comemora Ávinho – Festa do Vinho e das Adegas em formato digital

A Ávinho – Festa do Vinho e das Adegas está de regresso em formato digital, devido à pandemia Covid-19. Entre 9 e 11 de abril poderá assistir a conteúdos dedicados à festa, à etnografia e às atividades ligadas à vitivinicultura do Concelho de Azambuja. Esta iniciativa é dinamizada pela Câmara Municipal de Azambuja, em parceria com a Junta de Freguesia de Aveiras de Cima e a Associação Vila Museu do Vinho.

Constância

Jardim-Horto de Camões reabre ao público no dia 6 de abril

 Após quase três meses de encerramento, devido ao confinamento geral que temos vivido, o Jardim-Horto de Camões reabre ao público no dia 6 de abril. Desenhado pelo arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles, o Jardim-Horto de Camões, considerado o mais vivo e singular monumento erguido no mundo a um poeta, foi inaugurado em 1991.

Em regime take away

Porto de Mós recebe Festival Gastronómico do Cabrito e do Borrego de 26 de março a 4 de abril

Cartaz

O Município de Porto de Mós está a promover a 2ª edição do Festival Gastronómico do Cabrito e do Borrego, a decorrer entre 26 de março e 4 de abril em regime take away.

Para a organização, “não é tempo de crise, é tempo de oportunidades. É tempo de fechar portas mas de abrir janelas. É tempo de estar em casa, vivendo a vida lá fora. É hora de levar para a mesa os sabores de sempre! A porta pode estar fechada mas a cozinha estará sempre aberta!”

O festival pretende promover dois produtos característico da quadra pascal – o cabrito e o borrego – que em Porto de Mós se refletem na gastronomia tradicional como iguarias com particularidades que vale a pena conhecer. Criados ao ar livre, em pleno Parque Natural, o cabrito e o borrego de Porto de Mós são distintivos pelo tipo de pastagens onde são criados.

Esta edição contará com a participação de cinco restaurantes locais – A Gralha, Taberna da Vila, Adega do Luís, Dom Abade e Requinte dos Amigos. Os pratos estão disponíveis, entre os vários estabelecimentos, todos os dias. O festival funciona em regime take away.

Para quem não tem possibilidade de se deslocar ao restaurante, está disponível a entrega ao domicílio, assegurada pelo município, através de uma parceria estabelecida com os táxis do concelho. Assim, para fazer as reservas basta consultar as condições de participação de cada restaurante na informação disponível em anexo. Caso se pretenda o serviço de entrega ao domicílio, aquando da reserva basta informar o restaurante.

Esta iniciativa cumpre, assim, dois objetivos distintos. Em primeiro lugar destacar e promover a gastronomia local e, em segundo lugar, dinamizar o comércio e o turismo, seja através da divulgação dos restaurantes participantes, seja através da parceria estabelecida com treze táxis das dez freguesias do concelho.

A tradição ainda é o que era e as iguarias das Serras de Aire e Candeeiros estão melhores do que nunca! Usufrua dos pratos tradicionais da Páscoa, com os sabores tão característicos da região e faça as suas encomendas nos restaurantes aderentes.

    Fonte: PA|GC|CMPM

Através dos deputados eleitos pelo distrito de Santarém

PSD critica atrasos nos pagamentos à Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio e do Rio Tejo

Duarte Marques

Numa pergunta à ministra da Cultura, os deputados do PSD por Santarém criticam a violação dos compromissos assumidos pelo Estado com a Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio e do Rio Tejo. “Como justifica o Governo um atraso desta natureza no pagamento das suas responsabilidades relativamente à Proposta Regional Centro N.º 529 – Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio, e do Rio Tejo aprovada no Orçamento Participativo de Portugal para 2017?  Quando prevê o Governo que esta dívida esteja saldada por parte da Direção Geral do Património Cultural (DGPC)”, questionam os deputados.

De acordo com os deputados social-democratas, nos últimos quatro anos, o único valor que os promotores do projeto receberam da parte da DGPC foram 8.820 euros, em 2019, como adiantamento. O Estado está em falta com dezenas de milhares de euros.

“Algumas destas associações assinaram de boa-fé os protocolos com o Governo e com a Administração Central, avançaram com os investimentos acordados, contrataram os meios que estavam previstos, receberam o primeiro pagamento/adiantamento, realizaram os projetos e, entretanto, desesperam com os atrasos no pagamento e vêm a sua imagem denegrida por incumprimento dos seus compromissos”, lamentam os deputados.

A Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio, e do Rio Tejo foi inaugurada em 26 de setembro de 2020 e classificada como grande rota GR-55 pela Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal (FCMO). Percorre os municípios de Abrantes, Mação e Sardoal.

“Importa salientar que são parceiros deste projeto e integram o protocolo assinado com a DGPC, além da entidade promotora – a Associação Cultural das Rotas das Mouriscas (ACROM)- as autarquias pelas quais passa esta rota, nomeadamente a Câmara Municipal de Abrantes, a Câmara Municipal do Sardoal e a Câmara Municipal de Mação”, referem os deputados.

Assim, o PSD quer saber como justifica o Governo um atraso desta natureza no pagamento das suas responsabilidades relativamente à Proposta Regional Centro N.º 529 – Rota Cultural Etnográfica das Ribeiras de Arcês e Rio Frio, e do Rio Tejo aprovada no OPP2017 e quando prevê o Governo que esta dívida esteja saldada por parte da DGPC.

Os parlamentares sociais-democratas perguntam ainda quais os montantes totais em dívida aos promotores vencedores do OPP 201, quais os montantes totais em dívida aos promotores vencedores do OPP 2018 e quais os níveis de execução dos projetos e protocolos assinados relativamente aos OPP de 2017 e 2018 respetivamente.

Contrato de comodato vigora pelo período de três anos

Câmara do Cartaxo celebra acordo com a EDP para intervir no edifício da antiga Central Elétrica

O presidente da Câmara Municipal do Cartaxo, Pedro Magalhães Ribeiro, assinou, no dia 16 de março, o contrato de comodato que permitirá à autarquia intervir no edifício da antiga Central Elétrica. O contrato vigora pelo período de três anos, sendo renovado se se mantiver o interesse da autarquia e da EDP, empresa proprietária do edifício.

Através do Programa ‘Tradições’

EDP apoia Artes Tradicionais da Festa dos Tabuleiros e Festas do Império do Divino Espírito Santo de Alenquer

O Programa ‘Tradições’ da EDP vai apoiar dez projetos vencedores desta 4ª edição, entre os quais as Artes Tradicionais da Festa dos Tabuleiros, projeto promovido pela Câmara Municipal de Tomar, e as Festas do Império do Divino Espírito Santo de Alenquer, promovido pela Câmara Municipal de Alenquer. Além de preservarem tradições, estes projetos financiados pela EDP podem ainda contribuir para criar emprego e dinamizar a economia local.

Vendedores que deram vida ao Mercado durante anos podem ser descartados

Os Verdes contestam a privatização do Mercado Municipal de Santarém

Mercado Municipal de Santarém

Depois da realização de obras de requalificação e modernização do Mercado Municipal de Santarém, no valor de cerca de 2 milhões de euros, a maioria (PSD) que gere a Câmara Municipal prepara-se para entregar a gestão deste espaço a privados. O Partido Ecologista “Os Verdes” denuncia que a autarquia quer “chutar dali os vendedores e vendedoras tradicionais, que durante anos lhe deram vida contra todas as dificuldades e todos os contraciclos decorrentes da concorrência dos grandes hipermercados” e, por isso, não pode aceitar esta decisão que considera “de uma grande injustiça.”

“Os Verdes” garantem não terem nada contra a renovação do mercado municipal e até consideram que esta renovação era há muito necessária para responder às exigências sanitárias do presente e para melhorar o conforto dos próprios vendedores e dos clientes.

Os ecologistas também não veem mal que este espaço possa vir a desempenhar funções polivalentes, com novas  valências culturais e gastronómicas, desde que estas mudanças não se façam  à custa das funções que deve desempenhar um mercado municipal: servir a economia local, como espaço privilegiado de venda de produtos de pequenos produtores  locais ou regionais, e  proporcionar às populações uma oferta diferente da que encontram nas grandes superfícies comerciais, nomeadamente, na relação vendedor/cliente.

Segundo o PEV, “com a privatização de um dos edifícios mais emblemáticos da cidade, classificado patrimonialmente, espaço privilegiado de História viva da cidade e do concelho,  a maioria PSD à frente do Executivo Camarário que gere Santarém, pretende concretizar dois objetivos de uma só vez: transformar este edifício num espaço VIP,  mais perfumado e com mais glamour  e ver-se livre de mais uma das funções e tarefas municipais, funções estas que dão trabalho e exigem muito empenho e dedicação dos autarcas.”

Para os ecologistas, “a concessão a privados, criando um intermediário que vai lucrar com este equipamento público fundamental, representa o fim da sua gestão pública, com as inerentes garantias de imparcialidade e de salvaguarda do interesse público acima do lucro, mas representa, ainda, a perda de controlo democrático das opções de gestão, a perda de transparência nessa mesma gestão, a ameaça dum resgate chorudo da concessão que deixará a cidade refém do privado, e acima de tudo, uma grande injustiça para com os vendedores tradicionais do Mercado, sem os quais este espaço nunca mais será o mesmo.”

Assim, segundo o PEV, “a proposta do Executivo PSD, na Câmara Municipal de Santarém, é uma afronta à cidade e a todo o concelho e à nossa memória coletiva: porque não salvaguarda o interesse público municipal; porque não respeita os direitos dos antigos vendedores; e porque o faz de um modo cobarde, usando um privado, como intermediário, a quem caberá  concluir o processo de “despejo” que a Câmara começou, recusando-se a negociar e a encontrar soluções para garantir a continuidade dos antigos comerciantes, em condições justas relativas ao passado.”

Os ecologistas não aceitam os argumentos da Câmara Municipal de Santarém relativos à precariedade dos vínculos dos comerciantes, à antiguidade do Regulamento existente, ou aos princípios do Código dos Contratos Públicos, considerando que a edilidade “nada fez, ao longo dos anos, para encontrar uma solução que regularizasse a situação dos vendedores e acabasse com a sua precariedade. Deixou arrastar uma situação que não resolveu e pela qual é o PSD o único responsável e que agora usa como argumento para roubar a esperança aos antigos comerciantes. Uma situação que Os Verdes consideram tanto mais injusta, dado o momento tão difícil de grave crise social que estamos todos a viver.”

O PEV questiona “o que ganhará o município, a cidade, ou o concelho com a entrega por 15 anos, por um preço base de 2.000,00€ mensais (!), a uma empresa privada, dum espaço público com dezenas de lojas e bancas, requalificado graças a quase 2 milhões de euros de dinheiros públicos e do orçamento municipal (ou seja, de todos nós)?” E questiona: “Quanto vai lucrar esse privado?  Quanto vai lucrar o Município? Que vão lucrar os clientes?”, assegurando que “a resposta é clara, só lucrará o privado a quem são dadas todas as vantagens de gerir diretamente este espaço, numa lógica perfeita de centro comercial” e, quanto à Câmara, aos antigos vendedores e aos clientes, conclui que não irão lucrar nada.

O Partido Ecologista “Os Verdes” alega que “Santarém já tem um Centro Comercial às portas do Centro Histórico, não precisa de mais um. Santarém precisa é de um Mercado Municipal, Público, de todos e para todos, para escoar a produção agrícola local e para os nossos comerciantes poderem vender” e, por isso, defende que “o Mercado é dos comerciantes e da população, é da cidade, não é do PSD nem deve ser de nenhum privado.”

Se o PSD desistiu de gerir o património municipal, os Verdes asseguram que “não vão desistir de lutar por um Mercado que cumpra as suas funções, servir toda a população escalabitana e não apenas uma elite” nem desistir da gestão pública do Mercado Municipal.”

Museu dos Rios e das Artes Marítimas

Cédula Marítima datada de 1943 é a Peça do mês no museu em Constância

A cédula do marítimo de Constância, Bartolomeu Pereira, tirada em 1943, é a Peça do mês em destaque no próximo mês de março, no Museu dos Rios e das Artes Marítimas, em Constância, uma oferta da sua filha, Isaura Pereira. Esta Cédula de Inscrição Marítima n.º 17720 pertenceu ao marítimo Bartolomeu Pereira, nascido em Constância, em 1888, filho de João Pereira, também marítimo, que tinha dois dos maiores barcos da região, o Boa Viagem e o Benjamim.

Alcobaça, Batalha e Porto de Mós serão os territórios beneficiários do projeto

Projeto Cultural «Aljubarrota 1385» aprovado com um apoio de 280 mil euros

Os municípios de Alcobaça, Batalha e Porto de Mós serão os territórios beneficiários do projeto cultural que envolve vários parceiros institucionais com o objetivo de, por um lado, apoiar a realização de eventos associados ao património, à cultura e a bens culturais, e também apostar na divulgação e integração territorial, através de iniciativas de cooperação territorial e institucional que permitam integrar a programação cultural, as visitas guiadas e a divulgação de equipamentos, bens culturais e serviços prestados.

Monumento Nacional desde 1967

Câmara de Torres Novas investe 370 mil euros na valorização das ruínas romanas de Cardillium

As ruínas romanas de Villa Cardillium, situadas a dois quilómetros a sul de de Torres Novas, no sítio de Caveira, vão ser alvo de um projeto de valorização que visa requalificar o espaço, conferindo uma maior dignidade a este Monumento Nacional desde 1967 e melhorando a experiência de visitação. No total, serão investidos 370 mil euros, acrescidos de IVA.

PS de Alcobaça considera a obra um atentado ao Património Mundial

Construção de escada de betão na Escadaria do Mosteiro de Alcobaça gera indignação

Colocação de betão nas escadarias do Monumento Património Mundial

As recentes notícias sobre o Relatório do Património Mundial em Risco do Conselho Internacional de Monumentos (ICOMOS), onde está incluído o Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, deixou muita gente preocupada. Não obstante toda esta problemática, esta semana teve lugar mais duas intervenções polémicas: a utilização de betão no “restauro” da escadaria monástica ou a construção de uma escada  de acesso na Ala Norte do Mosteiro. Para a Concelhia do PS de Alcobaça, qualquer das situações é grave, sendo certo haver outras formas de acessibilidade ao monumento sem prejudicar o Património

O PS Alcobaça, presidido por Rui Alexandre,  já fez saber que é um assunto que interessa a todos os alcobacences e tendo sido questionado acerca do assunto, remeteu para a Câmara Municipal de Alcobaça uma explicação, considerando que a obra também é da responsabilidade da autarquia.

A Comissão Política de Alcobaça do PS está ciente que o Património e a Cultura são fatores fundamentais para o desenvolvimento integrado e sustentável do concelho de Alcobaça e, por isso, entende que as entidades responsáveis deveriam respeitar mais as recomendações para assegurar a proteção do nosso património.

O PS Alcobaça entende que não pode ficar indiferente a “tamanha atrocidade ao nosso património e gostaria de uma explicação urgente por parte da Edilidade responsável a todos os munícipes para o que se está a passar.”

Candidatura para intervenções na Casa Memorial Humberto Delgado aprovada em Torres Novas

O Município de Torres Novas apresentou uma candidatura no âmbito do Programa de Desenvolvimento Rural 2014-2020, no que se refere a «Renovação de Aldeias», para intervenções na Casa Memorial Humberto Delgado, local onde nasceu o “General Sem Medo” dedicado à divulgação dos seus feitos e obras, nomeadamente na área da aviação civil e intervenção política.

PSD recomenda ao Governo classificar a duna de Salir do Porto como paisagem protegida

O Grupo Parlamentar do PSD recomendou ao Governo a classificação da duna de Salir do Porto como paisagem protegida. A duna de Salir do Porto, no concelho de Caldas da Rainha, no limite da Baía de São Martinho do Porto, é a maior de Portugal e, de acordo com registos históricos, poderá ter sido a maior da Europa. Vista da baía de São Martinho do Porto, estende-se por cerca de 200 metros de comprimento e 50 de altura acima do nível do mar.

Torres Vedras irá criar rota de enoturismo em torno da Estrada Nacional 9

A Câmara Municipal de Torres Vedras encontra-se a desenvolver uma rota dedicada ao enoturismo. A rota irá acompanhar o percurso da Estrada Nacional 9 no Concelho, uma via estruturante que acompanha as áreas de maior concentração de vinha no território. Esta estrada liga Sintra (Lourel) à EN1 em Alenquer, passando por Montelavar, por Mafra, por São Pedro da Cadeira, por Torres Vedras e pela Carvoeira. Entre Lourel e Montelavar existe uma variante em formato de autoestrada, com a designação R 19.

Empreitada de recuperação e requalificação da Igreja de São João Baptista vai avançar

A Câmara Municipal de Tomar deliberou na última reunião do ano a adjudicação da empreitada de recuperação/requalificação da Igreja de S. João Baptista à empresa SIGNINUM – Gestão de Património Cultural, finalizando assim o concurso público realizado. Esta será uma obra no valor de 1.589.680,99€, candidatada pelo município a fundos europeus que a financiarão a 85%, em parceria com a Vigararia de Tomar.

Requalificação da portaria conventual e Loja representa um investimento de 330 mil euros

Mosteiro de Alcobaça inaugura novo circuito interno de visitação

A inauguração do novo circuito de visitação e da loja do Mosteiro de Alcobaça teve lugar segunda-feira, 19 de abril, com a presença do diretor-geral do Património Cultural, Bernardo Alabaça, do presidente da Câmara Municipal de Alcobaça, Paulo Inácio, e da diretora do Mosteiro de Alcobaça, Ana Pagará. A primeira componente do Plano Diretor do Mosteiro de Alcobaça – Requalificação da portaria conventual e Loja – representa um investimento de 330 mil euros e foi concluída a 31 de dezembro de 2019.

Por ocasião das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

Mosteiro de Alcobaça inaugura a nova Portaria e Loja no dia 19 de abril

Por ocasião das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios (DIMS), o Diretor-Geral do Património Cultural, Bernardo Alabaça, inaugura esta segunda-feira, dia 19 de abril, às 15 h, a nova Portaria e Loja do Mosteiro de Alcobaça. A cerimónia termina com um recital de piano e canto pela OPART. A nova receção situa-se na antiga portaria do Mosteiro, que assim recupera a sua função primeva. Já a Loja passa a funcionar na Sala das Conclusões, situada simultaneamente no início e no fim do novo percurso de visita.

Projeto do Município de Leiria, Junta de Freguesia da Boa Vista e ACILIS

Marca “Leitão da Boa Vista” é lançada no dia 17 de abril e vai ter encomendas online

A marca é lançada dia 17 de abril, com uma campanha online que se estende até dia 2 de maio. Durante a campanha, será possível encomendar o Leitão da Boa Vista com serviço gratuito de entregas em todo o país. Os residentes em Leiria podem encomendar Leitão com o serviço gratuito de entregas Leiria no Prato.

Camões continua “afável e eternamente jovem”

Monumento a Camões reabilitado em Constância por ocasião do 40º aniversário

O Monumento a Camões, uma notável criação artística do escultor Lagoa Henriques que se transformaria num ícone da vila de Constância, foi inaugurado em junho de 1981. Passados 40 anos, os efeitos do tempo eram já bem visíveis: o monumento apresentava crescentes sinais de degradação na sua estrutura de betão, com desagregação de materiais.

Carnaval: Ritos, Artes e Criatividade é a exposição permanente

Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras abre no dia 25 de abril

Centro de Artes e Criatividade de Torres Vedras é o novo espaço cultural dedicado ao Carnaval que tem inauguração marcada para o dia 25 de abril. Através de um percurso expositivo que celebra a vida, o equipamento dará a conhecer uma expressão cultural que se manifesta em várias partes do mundo, mas também a história e as características do Carnaval de Torres Vedras.
Carnaval: Ritos, Artes e Criatividade é a exposição permanente, que irá centrar-se numa multiplicidade cultural tendo como denominador comum o Carnaval, dando a conhecer mais de 30 carnavais de 7 regiões do mundo.

Monumento Nacional está mais inclusivo e atrativo

Castelo de Leiria conclui obras de requalificação de seis milhões de euros

Valorização do património, maior inclusão e mais atratividade turística foram os objetivos apontados pelo presidente da Câmara Municipal sobre a intervenção já concluída no Castelo de Leiria, numa visita realizada esta segunda-feira, dia 29 de março, com os órgãos de comunicação social. Encontram-se também em fase de conclusão os acessos mecânicos ao Castelo, que permitirão a subida a pessoas de mobilidade reduzida, bem como uma maior aproximação entre a envolvente da cidade ao centro histórico, já que poderão ser utilizados gratuitamente e por moradores e pessoas que trabalhem naquela zona.

12 geocaches foram “escondidas” nesta primeira fase de instalação

Rede geocaching Termas Centro atrai “caçadores de tesouros” às estâncias termais da região

As Termas Centro concluíram a primeira fase da instalação de um conjunto de geocaches no território das 20 estâncias termais que compõem a rede. Um total de 12 geocaches foram “escondidas” nesta primeira fase de instalação, por uma equipa do Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território da Universidade de Coimbra. Entusiastas desta atividade têm já à disposição 12 geocaches escondidas nas termas da região Centro. Quando estiver concluída, a rede terá 50 “tesouros escondidos”.

Obras na antiga Real Fábrica do Juncal, fundada em 1770, vão finalmente avançar

Câmara de Porto de Mós investe 1,3 milhões na requalificação da Casa dos Calados no Juncal

Foi aprovado na última reunião de Câmara de Porto de Mós a abertura do procedimento para a recuperação da Casa dos Calados no Juncal. Passados 19 anos após aquisição do edifício por parte do Município esta obra vai finalmente ser concretizada. O projeto de reabilitação foi adjudicado a um dos descendentes do antigo proprietário e após a apresentação do estudo, da aprovação do projeto em Reunião de Câmara, foi publicado no dia 24 de março, no Diário da Republica, o lançamento do concurso público para execução dos trabalhos, com um investimento previsto de 1,3 milhões de euros.

De 26 de março a 4 de abril

30º Festival Gastronómico do Cabrito avança em Torres Novas em modo take-away

O Município de Torres Novas, em colaboração com 17 restaurantes do concelho, promove de 26 de março a 4 de abril de 2021, a 30.ª edição do Festival Gastronómico do Cabrito. Dado o estado de emergência em vigor, o evento irá decorrer em regime de Take-Away com alguns restaurantes a disponibilizarem serviços de entregas (Delivery). Os restaurantes aderentes são: A Gamela dos Sonhos, A Tertúlia do Nabeiro, Babalhau By Chef Lurdes, Brasão Real, Cabaça’s, De’Gustar, Hotel de Torres Novas – Restaurante, Inprovável, Mamma Mia, Manjar do Botequim, Mário Alturas, Mosteiro dos Leitões, O Pocinho, Retiro da Ti Lena, Solar da Valada, Sopas & Saladas, Temperos da Luz.

Projeto de resolução Nº 856/XIV/2ª apresentado pelo PSD foi aprovado com os votos contra do PS

Parlamento recomenda ao Governo a classificação da área da Duna de Salir do Porto como Paisagem Protegida

A Assembleia da República aprovou, com os votos contra do PS, uma Recomendação ao Governo proposta pelo PSD para classificar a área composta pela Duna de Salir do Porto, pela antiga Alfândega, Capela de Sant’Ana e as “Pocinhas” de Salir do Porto, em São Martinho do Porto, concelho de Caldas da Rainha, como Paisagem Protegida. O Partido Socialista depois de ter dado entrada este projeto de resolução também deu entrada com um projeto de resolução sobre o mesmo assunto que também foi aprovado.

Município cede antiga escola primária para a instalação do Centro

Centro de Interpretação do Geoparque Oeste vai ser instalado no Bombarral

Assinatura do protocolo

A antiga Escola Básica do 1º Ciclo do Bombarral, situada junto à Praça da República, foi o espaço escolhido para a instalação do futuro Centro de Interpretação do Geoparque Oeste – Terras do Jurássico.

A cedência do antigo edifico escolar foi formalizada esta segunda-feira, dia 8 de março, através da celebração de um protocolo, assinado pelos presidentes da Câmara Municipal do Bombarral, Dr. Ricardo Fernandes, e da direção da AGEO – Associação Geoparque Oeste, João Serra, num momento que contou ainda com presença do vereador Vítor Fonseca.

O Centro de Interpretação terá como principal missão dar a conhecer todo o território do Geoparque, as suas maravilhas geológicas, ambientais e heranças culturais que tornam este território único e motivo de orgulho das suas gentes, permitindo continuar a preservação deste património, a despertar o interesse para a ciência e a promover o desenvolvimento sustentável na região.

    Fonte: PC|GAPOM|SRPCI

Museu Raul da Bernarda integra projeto “Museu na Aldeia” promovido pela Rede Cultura 2027

Concentração dos agentes culturais em Cabeça, no concelho de Alvaiázere

O Município de Alcobaça, através do Museu Raul da Bernarda, irá participar no projeto transconcelhio “Museu na Aldeia”, reunindo as comunidades de 13 aldeias e os objetos de 13 museus, divididos entre si. O museu municipal fornecerá uma peça de cerâmica contemporânea integrante do seu espólio que irá permanecer e interagir com a aldeia de Cabeças, em Alvaiázere. Esta quinta-feira, 4 de março, o Município realizou uma visita técnica a Cabeças onde a peça será trabalhada e reinterpretada.

Este projeto integra a candidatura de Leiria a Capital Europeia da Cultura, envolvendo 26 concelhos da Rede Cultura 2027, estrutura de suporte a esta candidatura.

Organizado e coordenado pela Sociedade Artística e Musical dos Pousos (SAMP), de Leiria, o projeto tem como objetivo: chegar a pessoas que vivam em comunidades mais isoladas e que se encontrem em solidão.

O “Museu na Aldeia” potencia ser um estudo de caso a nível nacional e desenvolve-se do encontro entre uma equipa que inclui artistas, museólogos, sociólogos, psicólogos e a população. A partir de objetos que os participantes têm em casa, desenvolve-se e esclarece-se a ideia de museu e do valor museológico. Numa fase posterior, um objeto de cada museu será apresentado à comunidade, que o reinterpretará num novo formato artístico a mostrar no museu que cedeu a peça original.

O projeto decorre até ao fim de 2022 e compreende ainda a criação de um museu virtual, com informação que permita a replicação e disseminação do processo noutros pontos do país. Em paralelo, decorrerá uma avaliação do impacto pelo Politécnico de Leiria.

Este projeto é financiado pela Iniciativa Portugal Inovação Social e pela Câmara Municipal de Leiria.

    Fonte: GRPP|CMA

Conselho Internacional dos Monumentos e dos Sítios repete argumentos da DGPC

ICOMOS valida intervenção na escadaria da antiga portaria do Mosteiro de Alcobaça

O ICOMOS – Conselho Internacional dos Monumentos e dos Sítios emitiu um parecer técnico, no dia 15 de fevereiro, em que valida a intervenção da DGPC na escadaria da antiga portaria do Mosteiro de Alcobaça. O documento, assinado por Soraya Genin, presidente do ICOMOS Portugal,  repete no seu parecer todos os argumentos já indicados pela Direção Geral do Património Cultural (DGPC).

“Mentira” pode afetar reputação de Portugal no mundo, nomeadamente junto da UNESCO

DGPC garante que não houve colocação de betão nas escadarias do Mosteiro de Alcobaça

Na sequência do comunicado de imprensa divulgado a 11 de fevereiro, pelo PS de Alcobaça, que anuncia uma alegada intervenção de betonagem nos degraus de escadaria do Mosteiro de Alcobaça, a Direção-Geral do Património Cultural garante que se trata de “uma informação falsa”. A DGPC alerta que, “tratando-se de um Monumento Nacional que é Património Mundial, as consequências desta mentira ultrapassam o âmbito local”, afetando a reputação de Portugal no mundo, nomeadamente junto da UNESCO.”

Em resposta ao comunicado da Concelhia do PS de Alcobaça

DGPC desmente colocação de rampa em betão na escadaria do Mosteiro de Alcobaça

A Direção-Geral do Património Cultural (DGPC) desmentiu este sábado, o conteúdo do comunicado divulgado no dia 11 de fevereiro, pelo PS Alcobaça, considerando ser inteiramente falso que esteja a ser colocada uma rampa em betão na escadaria da antiga portaria do Mosteiro de Alcobaça. Segundo a DGPC, os degraus desta Portaria apresentam-se muito desgastados e com uma perda muito significativa de material pétreo com riscos evidentes para a sua utilização, e tendo em conta o seu evidente valor patrimonial, optou-se por conservá-los, colocando uma chapa de aço cortene sobre parte dos degraus existentes.

Câmara de Torres Novas aprovou a aquisição do Velho Lagar

Lagar de Azeite de Rexaldia vai ser adaptado e dar origem a um polo cultural e recreativo

“Lagar da Rexaldia”

A  Câmara  Municipal  de Torres Novas aprovou, na reunião de 9 de fevereiro,  adquirir,  pelo  valor  de  61 mil euros, o prédio sito na Rua do Freixeiro,  nº1, em Rexaldia,  vulgarmente  conhecido como “Lagar da Rexaldia”.

A fim de tentar resolver uma situação de perigosidade rodoviária no centro da aldeia de Rexaldia, considerando que a localização do imóvel, construído há muitos anos, conflitua com o trânsito existente nos dias de hoje, tapando a visibilidade a quem ali circula, pretende-se demolir a parte do edifício que retira visibilidade a quem conduz naquela zona e adaptar o velho Lagar (e toda a área disponível que inclui um logradouro com uma área substancial) a um polo cultural e recreativo, implantado no centro da aldeia.

Pretende-se que esta aquisição venha a contribuir para o enriquecimento da qualidade de vida daquela aldeia e freguesia, promovendo neste caso maior segurança rodoviária e gerando desafios nos campos político, social, cultural e associativo para se tirar partido dum património emblemático que urge preservar e promover, sempre em parceria com o município, como proprietário.

Fonte: AF|DTICMA|CMTN

Projeto turístico Rotas das Invasões Francesas junta regiões transfronteiriças do Centro de Portugal e de Castela e Leão

O quarto Comité de Direção do projeto Interreg NAPOCTEP – Rotas Napoleónicas por Espanha e Portugal decorreu no dia 22 de janeiro, em formato online. A reunião serviu para apresentar trabalhos já desenvolvidos no âmbito do projeto, como a apresentação das rotas turísticas relativas à Terceira Invasão Francesa. No território nacional, a invasão iniciou-se em Almeida e continuou para o Bussaco, onde teve lugar uma importante batalha, tendo terminado nas Linhas de Torres Vedras.

Município de Leiria requalifica zona junto ao Santuário dos Milagres

Têm início esta semana as obras de requalificação das ruas Cónego Lacerda e Cónego Lacerda e do largo junto ao Santuário do Senhor Jesus dos Milagres, na freguesia dos Milagres, uma intervenção que pretende dotar a zona de maior conforto e atratividade e revitalizar a dinâmica da área. Num investimento de quase 750 mil euros, a empreitada tem uma duração prevista de 270 dias (cerca de nove meses) e inclui um conjunto de trabalhos que, segundo o vereador das Obras Municipais e Requalificação do Espaço Público, Ricardo Santos, “visam tornar o espaço mais agradável e aprazível para quem o frequenta, contribuindo para um futuro aumento do turismo, já que serão também melhoradas as condições para a realização das festas tradicionais da freguesia”.

João Ferreira visita o Forte de Peniche, símbolo da luta pela liberdade e democracia

João Ferreira, candidato à Presidência da República, visitou, no dia 30 de dezembro, o futuro Museu Nacional Resistência e Liberdade, no Forte de Peniche. Esta não é a primeira vez que a importância do Forte de Peniche como símbolo da luta contra o regime fascista é recordado em eleições presidenciais, já que há 12 anos, Manuel Alegre iniciou neste Monumento Nacional a sua campanha eleitoral.